A importância de mensurar o comportamento dos seus concorrentes

A nova realidade da sociedade impõe mudanças a uma velocidade inimaginável até pouco tempo atrás. E a verdade é que, independentemente do setor de atuação, quem não estiver preocupado em acelerar sua reinvenção para estar alinhado a esse novo ambiente, vai perder relevância e ficar para trás. É hora, então, de lançar mão das ferramentas que as novas tecnologias colocam à nossa disposição para conhecer profundamente o mercado e a concorrência e qualificar a tomada de decisões.

Alguém aí pensou em big data? Sim, o imenso volume de dados estruturados e não estruturados gerados pelas mais diversas fontes é fundamental para atuar nesse mercado hiperdinâmico e conseguir atender com qualidade um cliente que está cada vez mais conectado e exigente. Portanto, a palavra de ordem é centrar-se nos dados para basear suas decisões de negócio. Mas ter a informação não basta: se não soubermos como tirar o melhor proveito desses dados, não utilizaremos o seu real valor.

Com o big data analytics, conseguimos proativamente captar e analisar informações que possam ser utilizadas de maneira estratégica, cruzando dados e percebendo as oportunidades para colocar a empresa na melhor posição neste cenário tão disputado: à frente dos seus concorrentes. Por meio da análise adequada dos dados, podemos conhecer o cliente, entender melhor o segmento de mercado e seus problemas, saber como os consumidores percebem a nossa marca, verificar tendências e acompanhar os principais players. E também conseguimos estudar e conhecer a fundo a nossa concorrência – o assunto principal deste artigo.

Monitorar e analisar as ações de quem concorre com você no mercado é crucial não só para saber como esses competidores se comportam, mas também para conhecer a reação dos consumidores às ações empreendidas por eles. Em plena era da informação, devemos aproveitar os dados e as evidências que nos trazem para antever movimentos e tendências. Com essa prática, vamos deixando o “achismo” e a “pura intuição” de lado. Isto é, devemos utilizar o Big Data para construir uma inteligência competitiva de verdade, que realmente contribua para empoderar a tomada de decisão.

E a melhor alternativa para qualquer negócio que deseja conhecer e entender as características, intenções e estratégias da concorrência é investir em soluções de inteligência para extrair dessa massa de dados as informações mais relevantes. Para tornar mais assertivas e consequentes as ações de marketing e comunicação, por exemplo, o acompanhamento das movimentações dos competidores e do que eles fazem nas redes sociais, nos sites e nos blogs, é duplamente valioso.

Além de conhecer suas principais ações e verificar como se comportam de acordo com as circunstâncias, possibilita também avaliar a reação do público e a comunicação entre eles, e entender o que está ou não funcionando. Com esse conhecimento, você consegue enxergar êxitos e falhas, perceber oportunidades para agir e planejar melhor suas estratégias, gerando melhores resultados em suas ações e campanhas.

Conseguir identificar o que os seus principais competidores estão fazendo nas iniciativas de marketing e comunicação e o que vem gerando melhores resultados a eles, quais os padrões de comportamento existentes em seu mercado que se mostram como oportunos ou até mesmo inoportunos são alguns dos elementos cruciais para que as ações de marketing sejam muito mais eficazes – e uma plataforma completa de big data analytics voltada para marketing e comunicação, que utiliza a inteligência em todo o processo, pode ser o elemento que você precisa.

Que tipo de campanha o concorrente faz em determinada rede social? Quais são as redes que ele utiliza em sua estratégia? Como se posiciona e se comunica em cada uma? O que oferece nas campanhas? Como ele dialoga com o público? De que maneira interagem? Como ele reage diante de um problema, uma informação equivocada, uma reclamação de um cliente? Estes são alguns dos pontos que você consegue levantar e analisar com o uso de uma solução inteligente e completa, e que são fundamentais para vencer o desafio de conquistar.

Para agilizar, ter mais eficiência e uma atuação mais efetiva, é crucial fazer seus planejamentos a partir de dados relevantes, informações que realmente tragam valor ao que está sendo avaliado. Se o objetivo é competir com os outros players do seu mercado com iniciativas bem fundamentadas com plenas possibilidades de trazer um retorno positivo, você não deve abrir mão de utilizar uma plataforma completa e inteligente.

Porque ter conhecimento profundo sobre os seus competidores é a melhor maneira de aperfeiçoar sua extração de valor, realizar e usufruir de análises mais precisas, melhorar sua obtenção de insights e, assim, criar ações orientadas pelas evidências e muito mais bem-sucedidas.

* Eduardo Prange é CEO da Zeeng, primeira plataforma de big data analytics voltada para marketing e comunicação.

Fonte: Administradores.com

Data Driven Marketing: saiba o que é e como usar essa estratégia

O uso em larga escala das tecnologias digitais gera uma tonelada de dados por meio de mídias sociais, aplicativos, blogs etc. Coletar, armazenar e decodificar essas informações é uma oportunidade pra entender profundamente o comportamento e os interesses do cliente. É aí que entra o data driven marketing.

A estratégia utiliza dados ricos sobre o consumidor e o mercado, pra tomar decisões mais certeiras. Assim, é possível atingir o cliente em cheio com uma experiência memorável e aumentar a efetividade de todas as ações de marketing.

Quer entender melhor o que é data driven marketing e como colocar essa tendência em prática na sua empresa? Então, continue a leitura!

O que é data driven marketing?

Como o próprio nome sugere, o data driven marketing — em português, marketing orientado por dados — é uma estratégia na qual todas as decisões são tomadas com base na análise de informações concisas. Ou seja, aqui nem o “achismo” nem o “feeling” têm vez. Tudo é guiado pelos dados!

Nesse modelo, o consumidor fica no centro da estratégia. O objetivo é conhecer toda a jornada do cliente e conseguir uma visão mais profunda sobre os desejos e necessidades do seu público. Com base nisso, as ações de marketing podem ser otimizadas e direcionadas pra atender cada comprador de forma individualizada.

Quais são os benefícios para o marketing?

O universo digital está crescendo, e com ele um amplo leque de oportunidades de negócios. O uso de tecnologias digitais gera uma infinidade de dados diariamente. Quando interpretadas, essas informações podem ser utilizadas pelo marketing pra gerar insights valiosos.

De acordo com um levantamento realizado pela International Data Corporation (IDC), empresa global de inteligência de mercado, a quantidade de dados gerados mais que dobra a cada dois anos. A previsão é que em 2020 o volume de dados seja de 44 trilhões de gigabytes.

Todas essas informações podem ser usadas pra otimizar as ações da sua empresa. Uma pesquisa realizada pela Google, em parceria com a Econsultancy, mostra que 93% dos profissionais de marketing concordam que a colaboração entre as equipes de marketing e análise é essencial pra gerar resultado. A seguir, você vai ver as principais vantagens da estratégia.

Segmentação mais precisa

Segmentar em marketing significa categorizar o público com base em interesses e comportamentos semelhantes. Na prática, é isso que permite que você atinja a pessoa certa, na hora certa.

O data driven marketing é uma ótima tática pra aprimorar a segmentação de consumidores. Afinal, com a análise de dados, é possível identificar quem é seu cliente, onde ele está, como ele interage com os diferentes canais e até quais são os horários em que ele está ativo.

Identificação de conteúdos relevantes

Criar ofertas relevantes é um princípio básico pra qualquer campanha na era digital. Mas como oferecer conteúdos adequados para o cliente sem sequer conhecer seus interesses e hábitos de consumo? Impossível, né?

Um dos benefícios do marketing orientado por dados está na possibilidade de identificar o que é relevante para o seu cliente ou não. Dessa forma, você consegue personalizar a comunicação e oferecer mensagens que realmente agreguem valor.

Otimização da experiência do cliente

Experiência é tudo! A vantagem mais evidente do data driven marketing é analisar todas as interações e usar esses dados pra melhorar a experiência do cliente. Afinal, as informações coletadas permitem que a comunicação seja personalizada, e ainda estreitam o relacionamento. Tudo isso resulta em um consumidor mais engajado e fiel à sua marca.

Maior retorno financeiro para a empresa

Campanhas orientadas por dados são mais certeiras, por isso apresentam um melhor Retorno sobre Investimento (ROI). De acordo com a Certain, empresas que implementaram o data driven marketing observaram um aumento entre 10 e 20% em seu ROI.

Como vimos, as vantagens de adotar a estratégia no seu negócio são incontestáveis. Mas, afinal, como colocar isso em prática? A seguir, você vai ver algumas dicas pra implementar a técnica na sua empresa.

Como usar essa estratégia?

O data driven marketing pode ser utilizado em todas as etapas da jornada de compra, desde a descoberta, passando pelo processo de reconhecimento, consideração e decisão, até as ações de fidelização.

Por isso, antes de colocar a estratégia pra rodar, o primeiro passo é fazer um planejamento a fim de definir os objetivos de cada campanha. Independentemente do propósito, é importante ficar de olho nas dicas que vêm a seguir.

Adote tecnologias adequadas

Sem tecnologias pra coletar, armazenar e interpretar os dados, o data driven marketing seria inviável. Sendo assim, a escolha de softwares especializados na governança de dados é um fator determinante para o sucesso ou o fracasso da estratégia.

Priorize a qualidade dos dados

Não basta reunir uma quantidade de dados quaisquer. Claro que é importante coletar informações vindas de diversas fontes — como mídias sociais, ferramentas de CRM, aplicativos, blogs, vídeos, imagens, relatórios de atendimento etc. Mas é bom lembrar que esses dados isolados não apresentam nenhum valor estratégico.

É necessário filtrar as informações e priorizar a qualidade. A interpretação dos dados é tão importante quanto a coleta. É no processo de cruzamento e análise de dados que um amontoado de informações vira conhecimento estratégico.

Segmente as campanhas

Quando uma pessoa se depara com um anúncio no Facebook que não tem nada a ver com seus desejos e interesses, ela vai rolar a página sem dar a mínima atenção pra ele, certo? Pode até ser que ela fique incomodada. Nesse caso, a empresa desperdiçou tempo e dinheiro com o público errado. É por isso que a segmentação é tão relevante.

Se você já conhece bem quem quer e precisa atingir, é possível aumentar a eficiência das campanhas. Assim, a comunicação é direcionada pra quem está predisposto a consumir conteúdos, produtos e serviços da sua empresa. Por consequência, as ações geram maior engajamento e resultados mais efetivos.

Personalize as ações

Anote aí: usar o data driven marketing pra fazer uma abordagem one to one é uma dica de ouro. Isso cria a sensação de que a oferta é única e foi desenvolvida especialmente para aquele cliente específico. E foi mesmo!

Portanto, invista em recursos pra compreender o que os consumidores realmente desejam. A comunicação personalizada precisa considerar gostos, interesses, hábitos e informações pessoais (como nome e data de aniversário). Quanto mais precisa ela for, maior será o valor percebido pelos compradores.

Mensure os resultados

A performance de uma campanha nesse modelo é 100% mensurável. Por isso, é importante criar indicadores de desempenho pra verificar se o plano está dando certo ou não. O acompanhamento constante dos resultados permite realizar ajustes eventuais e aprimorar a estratégia.

No data driven marketing, todas as decisões são orientadas por dados. Isso permite que você tenha um profundo conhecimento sobre os hábitos do cliente e, consequentemente, crie ações mais efetivas. Portanto, use o poder dos dados pra alavancar os resultados do seu negócio!

Fonte: Mutant

 

COMO AUMENTAR A TAXA DE CONVERSÃO EM MEUS CANAIS DIGITAIS?

Hoje vivemos na era da experiência, o que é muito contrária a era das vendas, que acontecia entre 1920 e 1940, onde a diferenciação e concorrência eram os preços dos produtos e serviços.

Com o passar de anos, chegou a internet e com ela o posicionamento marketing de produtos, os 4 p’s do marketing até hoje com a nova era da experiência.

novo consumidor não busca apenas o melhor preço ou a melhor qualidade de produto, ele busca a experiência que a marca pode oferecer durante o consumo do produto ou serviço entregue.

O público possui acesso a informações de forma contínua e rápida. Sem tempo de consumir o bombardeio de informações disseminadas pelos veículos, essas pessoas buscam seguir marcas que estão de acordo com o seu perfil de consumo.

O público consome cada vez mais vídeos, fotos e textos curtos e objetivos que acionem sentimentos como emoção ou alegria, assim, isso insere-se de forma mais verdadeira na história da pessoa.

Entenda o que é marketing de conteúdo: Qual a importância do Marketing de conteúdo para a sua empresa?

As empresas buscam inserir-se nesse novo modelo de  relacionamento com o consumidor, fazendo pesquisas para desenvolverem ações que convertam suas vendas.

Afinal, como converto ações em vendas?

O primeiro passo, é entender seu target, sabendo isso, a empresa consegue medir previsões de retorno de suas futuras ações.

Após entender o target e onde ele  está, a empresa deve trabalhar branding e performance de forma integrada, sabendo que essas duas palavras devem andar juntas sempre.

Branding é algo construído a médio e longo prazo, num conjunto de ações e estudos. Já a performance é algo com resultado a ser medido a curto prazo, com o objetivo de conversão.

Saiba mais sobre branding: Saiba o que é branding e como isso influencia na sua empresa

Aumentar a conversão de vendas é além de uma meta, é manter o posicionamento e imagem da marca positivos diante da sociedade.

Clareza no posicionamento de marca é um dos passos para manter a empresa fortalecida. Além disso, a relação entre consumidor e empresa é algo que deve ser muito transparente, humanizado e ágil.

Fonte: Digitalks