Twitter libera uso de GIFs, imagens e vídeo em retweets

Atendendo a pedidos de muitos usuários, o Twitter lançou, globalmente, um recurso que permite usar GIFs, imagens e vídeos em retweets com comentários. Segundo a companhia, em comunicado, a ferramenta que está disponível para as versões da plataforma nos sistemas iOS, Android, mobile.twitter.com, Twitter Lite e Twitter para Windows, possibilitará adicionar um vídeo, até quatro imagens ou um GIF em cada retweet.

Em nota, o Twitter também informou, que o recurso “ajuda as pessoas a se sentirem como se estivessem publicando um conteúdo original, mesmo que tenha sido criado por outros usuários”. Até o momento, somente texto podia ser inserido em retweets. A nova funcionalidade já está sendo utilizada por alguns usuários populares no Twitter no Brasil, como o canal Multishow e Rosana Hermann, apresentadora do programa Porta Afora.

As redes sociais têm prazo de validade?

As redes sociais já fazem parte do dia a dia das pessoas há bastante tempo. Uma pesquisa recente feita pela Rock Content, startup de software as a service, apontou que no Brasil, 96,2% dos usuários de internet estão em alguma rede social, 18,2% a mais do que mostrou o estudo do no passado. Mesmo assim, muitas delas crescem e morrem rapidamente e esse é um retrato do que vivemos hoje. Há uma volatilidade muito grande, as coisas surgem muito rápido e acabam na mesma velocidade.

Como o caso do Orkut, por exemplo, apesar de ser uma rede que todos gostavam muito, aliás, umas das primeiras que mais se assemelham as que usamos hoje e que aculturou os brasileiros em relação a social, não durou muito tempo após a chegada do Facebook. Isso porque tudo evolui muito rápido, principalmente na internet, e o Orkut não acompanhou as mudanças que os usuários ‘pediam’. Dessa maneira, o Facebook ocupou o espaço e ainda hoje é umas das redes preferidas dos brasileiros. Um dos motivos de continuar em ‘alta’ é por estar sempre se reinventando e atualizando suas funcionalidades, de acordo com as expectativas das pessoas.

Outra que recentemente chegou ao fim foi o Google Plus. Sua proposta era muito interessante, porém, bem distante do que o perfil de usuário está procurando quando acessa uma rede social. Além disso, muitas pessoas se perguntam por que ter mais de uma, quando você tem uma que contempla todas as suas necessidades?

É preciso que algo seja realmente inovador para despertar o interesse dos usuários. As redes sociais que surgiram com ideias diferentes, como o Instagram e o Snapchat, por exemplo, rapidamente receberam propostas de compra do dono do Facebook. A primeira foi comprada e hoje em dia é a quarta rede mais acessada do Brasil. Já o Snapchat, recusou e é uma das menos acessadas, ficando em 10º lugar e em 17º no ranking mundial, de acordo com o estudo produzido pela We Are Social, agência global de marketing, em parceria com a plataforma de mídia Hootsuite, um sistema norte-americano especializado em gestão de marcas na mídia social.

Outro ponto a ser levado em consideração é que o perfil de usuários nas redes muda muito de uma para outra. E a tendência é que isso continue em constante transformação com a chegada de novas gerações. Muitas empresas já perceberam isso e sabem muito bem onde e como impactar seus públicos de interesse. O estudo da Rock Content mostrou também que 43,6% das empresas fazem divulgação nas redes sociais seguindo um calendário editorial e alcançam uma média de visitas 1,5 vezes maior do que aquelas que não utilizam o recurso. O que mostra a relevância de ter a sua empresa nas redes hoje em dia.

Em linhas gerais, o que fica claro é a importância de estar sempre atualizado e de acordo com as tendências do mercado e com as redes sociais é a mesma coisa. Além disso, sabemos que as gerações atuais cansam muito mais facilmente de tudo e a tendência é que isso seja ainda mais presente com as gerações que estão chegando. Sendo assim, o meu questionamento é: as redes sociais têm prazo de validade? Acredito que vale pensar que é preciso se reinventar sempre porque, assim como a tecnologia, as pessoas estão em constante evolução e em busca de novidades.

Fonte: Portal Makingof

Netshoes é empresa varejista mais digital, diz E-Consulting

A consultoria nacional E-Consulting Corp. analisou as maiores empresas com negócios no varejo para saber quais estão mais avançadas e consolidadas no que tangem aos conceitos e práticas de Transformação Digital em seus modelos de negócio.

O objetivo do estudo foi medir como o varejo usa os elementos da Transformação Digital de forma inteligente, tanto de dentro para fora, como de fora para dentro. As empresas que oferecem a tecnologia de maneira mais funcional, indo além do quesito inovação, foram as que tiveram mais destaque na análise. “Não é só adquirir novas tecnologias. É saber adotar”, diz Daniel Domeneghetti, CEO da E-Consulting e responsável pelo estudo “Régua da Transformação Digital no Varejo”.

O levantamento confirma o atual movimento do varejo brasileiro de, cada vez mais, incluir o digital no modelo de negócio, sendo considerado o “novo básico” para atender os consumidores. De acordo com o Domeneghetti, ter e-commerce ou aplicativo desintegrado não será vanguardismo nos próximos anos.

“O digital é o novo básico para o varejo. Por isso, a inovação estará ligada em saber trazer os benefícios da transformação digital no dia a dia e no relacionamento com cliente. E essa virada vai acontecer por meio de novas competências, como prototipação, design, experiência de compra, jornada, experimentação, analytics, Big Data, cloud, as a service, conexão, simultaneidade, algoritmos, colaboração e integração”, pontua o executivo.

Segundo o levantamento, a Netshoes foi considerada a organização que mais tem evidências e elementos ligados à Transformação Digital. Com DNA 100% digital, o e-commerce de calçados e artigos esportivos conquistou nota 4,0 – o máximo era nota 5,0 – por fortalecer sua atuação em marketplaces B2B, usar Blockchain em seu modelo de gestão, desenhar ofertas e serviços nativos digitais sempre com foco na melhor jornada de compra do consumidor e inserir inovação colaborativa.

A lista também reúne gigantes como: B2W (3,75), Home Refil (3,67), Supermercado Now (3,60) e Grupo Pão de Açúcar – GPA (3,40). Confira:

Metodologia

A E-consulting usou instrumentos de pesquisa como cliente oculto, enquetes on-line, inteligência competitiva, análise de mídias sociais, premiações, posições em rankings do setor. Entrevistas com executivos do varejo e com clientes, além de parceiros tecnológicos também serviram de base para concretizar os resultados do estudo “Régua da Transformação Digital no Varejo”

As notas do ranking, pontuadas de 0 a 5, foram construídas com base em diversos critérios que materializam o processo de competitividade a partir da transformação digital tanto internamente, envolvendo a apuração de sistemas de gestão, investimentos em TI, metodologias avançadas, organização produtiva e plataformas, bem como externamente. Ou seja, a partir da avaliação de seus diferentes stakeholders, tais como consumidores, clientes, funcionários e especialistas em consumo no varejo.

Fonte: ecommercebrasil