Google começará a exibr podcast nos resuldados de pesquisa

O Google começará a exibir podcasts em seu resultado de pesquisa, para ser mais fácil de encontrá-lo. O site de busca exibirá episódios individuais, ou seja, caso alguém pesquise um programa ou uma entrevista específica, a procura mostrará os possíveis capítulos.

Também será possível pedir ajuda ao Google Assistente, “Olá, Google, reproduza um podcast sobre o NerdCast do Jovem Nerd”. Porém, não há informações de quando a funcionalidade do Assistente será atualizada.

O Google informou que suporta a reprodução de terceiros para aqueles podcasts que são exclusivos de algumas plataformas. Para remover a indexação de pesquisa, a equipe está automaticamente transcrevendo todos os programas, então, todos que publicarem com um RSS Feed terão seus conteúdos indexados automaticamente.

Fonte: Adnews

Instagram libera desenvolvimento de filtros para marcas e usuários

No Stories, do Instagram, um filtro fotográfico coloca o usuário no rosto do Faustão. Outro insere a frase do meme “juntos e shallow now” acima de sua cabeça, assim como dezenas de outras opções com memes. Outros trazem até games que funcionam a partir da interação com a câmera. Uma variedade de filtros customizados do Instagram começou a pipocar na rede social nos últimos dois meses, até então desenvolvidos por um grupo seleto de desenvolvedores, designers e artistas. Nesta terça-feira, 13, o Facebook anuncia a abertura de sua plataforma de criação em realidade aumentada, o Spark AR Studio, para todos os usuários – inclusive perfis de marcas.

A ideia é ampliar as possibilidades de expressão artística e a interatividade dentro do Facebook e do Instagram. O programa funcionava até agora em fase de testes, direcionado a artistas, designers e desenvolvedores selecionados pela plataforma.
“Estamos bastante animados com o que vimos na fase beta fechada”, afirma Silvia Ramazzotti, gerente de marketing de produto do Instagram. O uso do Spark AR é gratuito, e por enquanto não há previsão de monetização relacionada aos filtros. Outra novidade é o lançamento da Galeria de Efeitos no Instagram, um espaço onde usuários podem descobrir filtros de realidade aumentada de forma mais intuitiva.

Globalmente, grandes contas e personalidades como Kylie Jenner, Ariana Grande, Rihanna e Gucci já criaram seus efeitos. “Estamos animados para ver como as marcas brasileiras vão utilizar a ferramenta para conectar com o público do Brasil, que é altamente engajado”, acrescenta Silvia.

A expectativa é de que marcas contem com um formato mais orgânico para se conectarem com usuários. “O filtro é diferente de um formato mais passivo. É uma máscara que as pessoas usam para se expressar como indivíduos e tribos. Acho que os filtros vão começar a entrar no pacote de mídia de agências para marcas”, opina Gustavo Vitulo, designer dono do perfil “@vitulox” e criador do filtro do Faustão, entre outros com memes.

Designers e desenvolvedores em destaque

A viralização dos filtros também dá visibilidade a profissionais que tradicionalmente ficam nos bastidores do processo criativo, os designers e desenvolvedores. Não por acaso, há uma nova leva de “influenciadores designers” no Instagram.

A designer Vanessa Dutra, dona do perfil “@sereiahipster”, começou a desenvolver filtros com inspiração em perfis estrangeiros, até encontrar seu nicho nos memes. Criadora de filtros com as frases “juntos e shallow now” e o do “papel de trouxa”, ela viu seu número de seguidores subir de 500 para quase 300 mil em pouco mais de dois meses.

“Os filtros viraram um suporte para divulgar meu trabalho como designer e meu estilo. Consegui ganhar mais voz como profissional, ter acesso a grandes marcas e abrir novos canais de comunicação”, opina.

Gustavo Vitulo também conquistou praticamente toda a sua audiência de 360 mil seguidores por conta dos filtros. Ele conta que todas as suas criações em realidade aumentada já alcançaram mais de 300 milhões de impressões no total. Também acredita que o Spark AR quebrou o paradigma de que é preciso programar para trabalhar com realidade aumentada.

“Há alguns anos atrás, seria necessário uma capacidade de programação muito maior para fazer um filtro, e agora só com conhecimentos básicos de design é possível criar um”, afirma. À medida em que o volume de filtros aumenta, contudo, a tendência é que usuários cobrem por mais qualidade. “É preciso de mais conhecimentos em programação e interfaces 3D para criar coisas mais complexas, mas por outro lado já há muitos tutoriais, inclusive em português, para o desenvolvimento de filtros mais simples”, finaliza Vanessa.

Fonte: Meio & Mensagem

Twitter para de usar dados de terceiros em sua plataforma

O Twitter anunciou nessa quarta-feira, 7, que está banindo dados de terceiros de sua plataforma de anúncios, levando anunciantes a comprar seus próprios portfólios se quiserem continuar a usá-los para segmentar anúncios. Assim, a plataforma deixaria de integrar esses provedores, como Acxiom, Oracle Data Cloud, Epsilon e outros, que têm uma vasta reserva de informações em audiência para anunciantes. A segmentação identifica pessoas baseadas em idade, gênero, renda, status familiar e outras características.

Em 2018, o Facebook realizou uma movimentação similar, após a exposição do caso Cambridge Analytica, quando um desenvolvedor externo se apropriou de forma ilegal dos dados de 87 milhões de usuários da rede. Também no ano passado, a União Europeia implementou a GDPR, que forçou anunciantes e plataformas a obterem o consentimento explícito dos usuários ao usar seus dados. O governo brasileiro também implementou recentemente a LGPD, com propósito semelhante. Nos Estados Unidos, o Congresso estuda medidas similares.

O clima inóspito mudou o cenário de dados no último ano. O IPG comprou a Acxiom por US$ 2,3 bilhões. Em abril, o Publicis Groupe comprou a Epsilon por US$ 4,4 bilhões. Marcas têm buscado, então, formas de coletar dados de consumidores que possam ser chamados de “first-party”.

Em nota, o Twitter afirmou que busca mudar o foco para sua API de integração com a segmentação dos próprios anunciantes. Também na quarta-feira, o Twitter admitiu que tratou de forma errada alguns dados de consumidores. Segundo a plataforma, eles podem ter mostrado anúncios baseados em informações coletadas com base no comportamento online fora de seu serviço.

Segundo o Twitter, eles foram capazes de conectar usuários a endereços de e-mail dos quais as pessoas nunca compartilharam com o serviço – o que permitiu à rede social coletar informações úteis para a segmentação publicitária. O Twitter não falou quantas pessoas foram afetadas ou o período de tempo em que isso ocorreu.

“Vocês confiaram a nós suas escolhas e falhamos aqui”, afirmou a companhia em um blog. “Pedimos desculpas pelo ocorrido e estamos tomando caminhos para fazer com que nunca mais cometamos esse tipo de erro.”

 Fonte: Meio & Mensagem

YouTube tem um recado para os milhares de criadores de vídeos digitais

O YouTube tem um recado para milhares de criadores de vídeos digitais na plataforma: a publicidade não é a única forma de ganhar dinheiro.

Na quinta-feira, uma divisão do Google apresentou novas maneiras para geração de receita por produtores de vídeo. Um novo recurso, chamado Super Stickers, permite que usuários comprem pequenas animações que aparecem em chats ao vivo durante alguns vídeos.

Novos níveis de associação com canais permitem que os fãs paguem cinco tipos de mensalidades diferentes para acessar recursos especiais, como streaming ao vivo exclusivo e clips adicionais. O YouTube também expandiu um sistema para venda de mais mercadorias pelos criadores de conteúdo.

O anúncio foi feito durante a VidCon, uma conferência para fãs e celebridades das redes sociais realizada em Anaheim, na Califórnia. As novas ferramentas do YouTube foram elaboradas para impedir que criadores populares e usuários abandonem o YouTube em favor de serviços concorrentes oferecidos por Facebook, Amazon.com (chamado Twitch) e outros.

No evento do ano passado, o YouTube introduziu o Super Chat, no qual os fãs pagam para que suas mensagens apareçam de forma mais relevante durante transmissões ao vivo. Atualmente, cerca de 20.000 canais do YouTube geram mais receita com essa ferramenta do que com anúncios, informou a empresa na quinta-feira.

“Eles na verdade formam um portfólio”, disse Neal Mohan, diretor de produto do YouTube. “Alguns conteúdos são mais adequados a esses tipos diferentes de monetização e queremos ter uma gama completa.”

Nos últimos anos, alguns criadores vêm reclamando da queda das quantias pagas pelo YouTube. A companhia limitou o número de vídeos com anúncios, após críticas relacionadas à exibição de material inapropriado.

A maior parte do faturamento do YouTube vem dos anúncios, assim como ocorre com o Google, que pertence à holding Alphabet. As iniciativas para venda de assinaturas tiveram resultados ambíguos.

Fonte: Exame

MUITAS contas de ANÚNCIOS sendo DESATIVADAS no Facebook

Uma forma de verificação de propriedade do cartão de crédito que consta como forma de pagamento da conta de anúncios.

Verificação por meio de uma cobrança com um código único por conta de anúncios.

Este procedimento já existia, mas não era disparado em grande escala como foi recentemente

Se será uma rotina padrão não se sabe, mas os anunciantes devem estar preparados para resolver esta conferência tendo sempre acesso as faturas do cartão de crédito.


🔴 O QUE ACONTECE?

💣 1 – O Facebook “resolve” confirmar se o cartão de crédito que é a forma de pagamento da conta de anúncios é realmente de propriedade do dono da conta de anúncios e se ele REALMENTE possui acesso ao cartão.

💣 2 – Para tal o Facebook DESATIVA a conta de anúncios. TODOS os anúncios no Facebook e Instagram são suspensos (somente daquela conta).

💣 3 – Ao desativar ele envia aos administradores da conta de anúncio uma notificação Push (via mobile ou pc, ou ambas) de que sua conta foi desativada;

💣 4 – Para alguns usuários ou administradores da conta de anúncios o Facebook vai enviar uma mensagem para o endereço de E-MAIL informando que a conta de anúncios foi DESATIVADA TEMPORARIAMENTE, para que o usuário confirme que ele realmente é o DONO da FORMA de PAGAMENTO, por isso eles chamam o título da mensagem de: “Informe-nos que é você.”, nem sempre o Facebook vai enviar ou por algum fator a mensagem poderá não ser entregue (spam, etc…).

💣 5 – Então o usuário vai ver o aviso em algum dos locais enviados e vai conferir clicando na mesma;

💣 6 – Aqui o Facebook começa o processo de “checkpoint/flow” que mostra uma tela, tanto no mobile ou navegador/pc que precisa VERIFICAR A FORMA DE PAGAMENTO da conta.

  • Nesta mensagem (tela) o Facebook informa os 4 últimos dígitos do cartão de crédito da conta de anúncios. (Veja, se a conta possuir mais de um cartão como forma de pagamento ele poderá escolher um deles para informar os dígitos).
  • Na mesma mensagem o Facebook diz que precisa DISPARAR (gerar) uma cobrança no valor de R$ 3,77 que é o valor de um DÓLAR convertido em R$ na cotação do dia, por isso o tal valor foi R$ 3,77, em outros dias poderá ser um valor diferente conforme cotação.
  • Ainda na mesma tela ele informa que se você está ciente, você pode INICIAR o processo de VERIFICAÇÃO clicando no botão azul: INICIAR AUTORIZAÇÃO, que você está autorizando uma cobrança de R$ 3,77 para verificar se você possui acesso a FATURA do cartão de crédito;

💣 7 – Autorizada a cobrança é ENVIADA naquele MOMENTO para o cartão de crédito, se ela aceita vai gerar uma cobrança no mesmo com uma identificação de: FACEBK* XXXX (que é o código de 4 dígitos) – FB.ME/ADS

💣 8 – Então o usuário terá de acessar a fatura do cartão, seja por APP, SITE, ou outra forma e visualizar o código de 4 dígitos com números ou letras da transação (veja que este procedimento pode demorar ou em casos nem chegar – cuidado para não enviar muitas solicitações, pois invalidará as anteriores);

💣 9 – Ao encontrar o código o usuário insere o mesmo na tela e dá AVANÇAR, a forma de PAGAMENTO da conta será confirmada e a mesma PODERÁ ser ATIVADA.

💣 10 – Pronto, pode seguir usando a conta de anúncios. Os anúncios que foram desativados voltam a funcionar e novos podem ser feitos, etc!


🚨 ALGUMAS CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES:

  • Por algum “erro” em muitos casos a cobrança é feita em outra moeda, o que o cartão rejeita dizendo que não foi possível fazer o pagamento; (esse passo não acontece para todos).
  • Se o usuário DEMORAR para encontrar o código, fechar a janela ou solicitar uma nova COMPRA de confirmação poderá INVALIDAR aquela checagem e não vai dar CERTO.
  • Algumas operadoras de cartão de crédito poderão NEGAR a cobrança ou achar SUSPEITA e CANCELAR a mesma, então a confirmação da forma de pagamento da conta de anúncios é “COMPROMETIDA/invalidada”.
  • Alguns casos a operadora de cartão de crédito poderá identificar como cobrança DUPLICADA por ter sido feita em um intervalo de tempo muito curto e não aceitar, invalida a confirmação da forma de pagamento.
  • Não sabe-se quantas vezes e o tempo que ela tem validade.
  • Alternar os procedimentos entre dispositivos e locais ou administradores da conta poderá invalidar os mesmos. Procure fazer tudo em um único momento.

✅ O QUE TENTAR FAZER PARA RESOLVER?

Acessar um dos avisos recebidos que a conta foi desativada, seja por meio de notificação push (pc ou mobile), seja por meio de e-mail, ou lá no gerenciador de anúncios, no aviso no topo da conta, geralmente acima dos anúncios. (ele demora um pouco a aparecer depois que a conta é acessada)

  • Encontrando este aviso clique no mesmo e veja se abrirá o processo de “VERIFICAR FORMA DE PAGAMENTO”, se sim esteja ciente de que irá disparar uma cobrança no cartão de crédito e precisará do código de 4 dígitos da mesma para informar na tela seguinte (não fechar, nem mudar de dispositivo ou local)
  • Informe o código e pronto, provável a conta será ativada (nem todas são reativadas após a inserção do código, mas vale tentar, pois a reativação via suporte é mais demorada e trabalhosa)
  • A cobrança pode demorar a chegar no cartão de crédito, aguarde, não faça novos ou muitos pedidos.
  • A cobrança não chegou, ou não tem acesso a fatura e extratos do cartão? COMPLICOU, vai ter de ser via atendimento do suporte do Facebook via CHAT ou FORMULÁRIOS de AJUDA da rede.

🙋 Ajuda do Facebook?

VIA CHAT*:
OPÇÃO 1:
https://www.facebook.com/business/form/chat
(Possui horário de seg a sex das 9 às 17hs)

VIA EMAIL E FORMULÁRIOS**: 
OPÇÃO 2: 
https://www.facebook.com/business/help

OPÇÃO 3:
https://www.facebook.com/business/clientsupport

COMO FUNCIONA?
Você preenche os dados do formulário, então é enviado uma cópia ao seu email informado, e dali em diante o atendimento é via email, o email é um endereço único por ID JOB (ticket de atendimento) e só vale para aquele caso. Tudo vai passar a ser atendido pelo EMAIL informado!

*Preencha o formulário e aguarde que ai começará bate-papo e então conte o seu problema ou dúvida e então eles conversam com você e em casos criam um chamado que segue sendo atendido via EMAIL!

**Em certos horários pode não abrir, mas outros horários abrirá.
Nem todas contas LIBERA o uso dos links aqui listados!
A prioridade de ATENDIMENTO é para perfils que tenham acesso a contas de anúncio oriundas de empresas e possui acesso a um GERENCIADOR DE NEGÓCIOS.

Você pode tentar com contas diferente (Perfils) desde que tenham acesso ao que precisa ser resolvido (conta de anúncios, página, etc etc…)


PS.: Regularmente o Facebook/Instagram altera os endereços de links ou desativa temporariamente.

Fonte: Tudo de Share

Extensões do Chrome e Firefox vazaram sites visitados por milhões de internautas

O especialista em segurança Sam Jadali veio a público com uma pesquisa demonstrando como uma série de práticas em sistemas corporativos, serviços on-line, extensões de navegadores e compartilhamento de dados que resultaram no vazamento de informações privadas, incluindo fotos, reuniões e documentos financeiros armazenados em endereços web particulares.

Esses endereços foram coletados por extensões disponíveis para os navegadores Google e Firefox e instaladas por mais de quatro milhões de internautas.

Jadali deu ao caso o nome de “DataSpii”, misturando as palavras “data” (dados), spy (espião) e PII, sigla em inglês para “informação pessoalmente identificável”.

O especialista identificou extensões disponibilizadas para os navegadores Chrome e Firefox que coletam todos os endereços web acessados pelo usuário e descobriu que dados eram enviados a um servidor de controle para serem repassados à Nacho Analytics, um serviço de marketing. Essa empresa permitia que qualquer pessoa assinasse um serviço de “monitoramento de domínio” para ver, praticamente em tempo real, o que as pessoas estavam acessando no site monitorado.

Por exemplo, é possível assinar o serviço para monitorar o endereço “1drv.ms” e visualizar todos os links compartilhados do OneDrive da Microsoft que foram acessados pelos usuários que instalaram essas extensões. O link em si dá acesso ao documento compartilhado.

Redes sociais, como o Facebook, também permitem que fotos sejam acessadas sem a realização do login caso alguém tenha o link direto para o arquivo da imagem, abrindo outra brecha para expor informações a partir dos links vazados.

Mas não são apenas documentos e arquivos em serviços de armazenamento em nuvem que podem ficar expostos. Sistemas internos de empresas, mesmo que não sejam acessíveis pela internet, também podem expor informações. Se um funcionário realiza uma pesquisa em um sistema interno, essas informações podem ser registradas pela extensão. As informações podem fazer referência a projetos comerciais, nomes de clientes ou outras questões sigilosas da empresa, mesmo que o conteúdo em si não seja acessível pela internet.

Jadali descobriu que funcionários de empresas de segurança e montadoras de veículos tinham instalado alguma das extensões e por isso estavam vazando dados internos. Ele também identificou reuniões cadastradas no serviço de conferências on-line Zoom solicitando o monitoramento do endereço “zoom.us” e balanços financeiros por meio do monitoramento da Intuit, criadora de um software de contabilidade.

Dados de passageiros ou de viagens também estavam presentes em endereços de sites de companhias aéreas e de transporte, enquanto dados médicos ficavam em endereços de serviços de saúde.

Jadali teve que assinar o serviço para cada endereço junto à Nacho Analytics, então não é possível saber o nome de todas as companhias e empresas que tiveram informações vazadas. O especialista alerta que a companhia oferecia um serviço grátis para fins de “teste”, o que também pode ser aproveitado por criminosos.

A Nacho Analytics alegou que seu serviço é totalmente lícito e que todos os dados pertencem a usuários que autorizaram a coleta. De fato, as políticas das extensões autorizavam a coleta dos endereços visitados na web.

A Nacho Analytics também informou que removia informações sensíveis antes de disponibilizar os links para consulta no serviço e que os links eram disponibilizados de forma anônima, ou seja, sem ligação específica com o usuário. Isso significa que não havia meio de ver todos os sites acessados por uma só pessoa, por exemplo, ainda que todos os links acessados por essa pessoa estivessem abertos na ferramenta.

Após a denúncia de Jadali, as extensões foram todas removidas da Chrome Web Store e do repositório oficial de extensões do Firefox. No Twitter, a Nacho Analytics informou que não está comercializando novas assinaturas do serviço porque seu parceiro de dados interrompeu suas operações.

Dados em links

Não é recomendado que dados sigilosos sejam incluídos no endereço de páginas web. A prática mais segura é exigir uma senha ou código durante o acesso. Isso impediria o vazamento de dados sensíveis pelo endereço das páginas.

Em muitos casos, no entanto, não é conveniente exigir senhas ou autenticação. Por isso, esses endereços devem ser usados apenas de modo particular. Quando o endereço é vazado por uma extensão ou outro componente, a única medida de segurança – o sigilo do endereço – é violada e os dados ficam expostos.

Extensões que vazaram sites visitados

  • Hover Zoom (Chrome): 800 mil usuários
  • SpeakIt (Chrome): 1,4 milhão de usuários
  • SuperZoom (Chrome/Firefox): 329 mil usuários
  • SaveFrom.net Helper (Firefox): 140 mil usuários
  • FairShare Unlock (Chrome/Firefox): 1 milhão de usuários
  • PanelMeasurement (Chrome): 500 mil usuários
  • Branded Surveys (Chrome): 8 usuários
  • Panel Community Surveys (Chrome): 1 usuário

Como as extensões foram banidas dos repositórios oficiais, o navegador já deve informar que o funcionamento da extensão foi suspenso. Elas não devem ser reativadas e recomenda-se que sejam desinstaladas definitivamente.

A lista de extensões pode ser acessada pelos endereços chrome://extensions (Chrome) ou about:addons (Firefox).

Quem tinha alguma das extensões instaladas também deve modificar endereços de links compartilhados e trocar as senhas também pode ajudar. Programadores devem cadastrar novas chaves de “API”, pois elas podem ter sido vazadas.

Fonte: G1

Instagram oculta likes para usuários brasileiros

Em maio deste ano o Instagram anunciou que iria iniciar testes que ocultassem o número de likes das postagens dos usuários do Canadá. Na época, a plataforma não indicou mais detalhes, prazos ou se a mudança seria adotada globalmente.

Agora, o experimento chega ao Brasil. A partir desta quarta-feira, 17, a rede social passa a remover o número de curtidas em fotos e visualizações de vídeos em feeds e perfis do país. As quantidades ainda poderão ser visualizadas por cada usuário, mas não estarão mais abertas ao público.

De acordo com o Instagram, o objetivo é que os seguidores “se concentrem mais no conteúdo compartilhado”. “Não queremos que as pessoas sintam que estão em uma competição dentro do Instagram e nossa expectativa é entender se uma mudança desse tipo poderia ajudar as pessoas a focar menos nas curtidas e mais em contar suas histórias”.

A medida causa preocupação entre influenciadores e anunciantes, mas não deve alterar as métricas para as empresas no gerenciador de anúncios. A plataforma afirma ainda que está animada com os resultados iniciais da mudança, mas que ainda é necessário estudar mais a forma como isso afeta a experiência dos usuários.

Fonte: Propmark

Plataforma monitora comunicação dos concorrentes no universo online

Pensou em uma plataforma desenvolvida para monitorar o que os seus concorrentes fazem em comunicação? Essa é a Zeeng, posicionada como a primeira plataforma de Big Data Analytics para o mercado de marketing e com viés de inteligência competitiva.
A startup funciona em uma espécie de coworking na capital gaúcha onde divide o espaço com outras semelhantes. Ela tem como co-founder e advisory board ninguém menos do que Cesar Paz, ex-CEO da AG2 e um dos principais nomes do marketing digital brasileiro. “Além de investidor, o Cesar é um grande conselheiro nosso”, conta Eduardo Prange, co-founder e CEO da Zeeng.
“A nossa principal diferenciação é mostrar para um cliente como a Mercedes-Benz o que os principais competidores como Volkswagen, Toyota e Fiat têm feito nas estratégias de comunicação, que têm gerado mais resultado. Analisamos desde as conversas em redes sociais até as notícias publicadas na mídia”, explica Prange.
Com crescimento declarado de 100% no faturamento nos últimos anos e com o objetivo de repetir o desempenho em 2019, o executivo afirma que os negócios vão muito bem e as marcas estão mais receptivas.
“A partir do momento em que a mídia começa a falar mais sobre marketing digital, o público a entender melhor sobre o tema, as marcas também passam a falar a mesma língua”, avalia ele.
Nos últimos dois meses, a empresa conquistou clientes como Fundação Dom Cabral e Banco Original. Agências como Moma, Pullse e Today também fazem parte da carteira de clientes.
A Zeeng acaba de contratar um head of growth, Paulo Henrique Gomes, com a missão de contribuir para a evolução do desenvolvimento de negócios da startup. Atualmente, a empresa conta com mais de 500 usuários e quatro mil marcas catalogadas na plataforma. A expectativa é que até o fim do ano esse número chegue a 800 usuários e ultrapasse cinco mil marcas.

Fonte: Propmark

10 dicas para ser mais influente nas redes sociais

Nos últimos anos, vimos surgir um novo termo: Digital Influencer, ou Influenciador Digital, em bom português. Na verdade, muita gente está transformando isso em carreira e ganhando dinheiro, uma vez que essas pessoas se tornaram formadores de opinião das redes sociais apenas com suas publicações.

O grande diferencial é que um influenciador tem uma conexão estreita e até mesmo surpreendente com os seus seguidores, pois consegue fazer com que eles prestem atenção em tudo o que postam e, consequentemente, as convencem a comprar os produtos que elas usam. Não é à toa que as agências de marketing e publicidade estão apostando cada vez mais alto nessas webcelebridades para fazer seus anúncios patrocinados.

Um Digital Influencer pode ser identificado não só a partir do seu número de seguidores nas redes sociais, mas sim pelo engajamento do seu público nas postagens. Se você gosta dessa ideia de influenciar as pessoas digitalmente, veja 10 dicas de especialistas para aumentar a sua influência nas mídias sociais:

1. Crie conteúdo de qualidade

“Pense nos melhores blogueiros que você segue, aqueles que realmente deixam a sua marca e que fazem as pessoas ouvi-los. O que você vai notar é que eles simplesmente não publicam mensagens ruins. A mediocridade não é opção para eles. Não há como eles publicarem um post desleixado porque eles estão ocupados. Cada post é bem escrito, perspicaz e útil”, explica Edward James, da Go Up.

2. Use dados para embasar suas opiniões

“As pessoas que ganharam influência nas mídias sociais compartilham suas opiniões com facilidade. No entanto, o que elas fazem, além de simplesmente colocar para fora é usar dados para dar suporte às suas ideias e posições. Um exemplo disso é Neil Patel. Ele é considerado como uma das vozes mais influentes no segmento de mídia social, analytics e marketing de conteúdo. Ele faz previsões e compartilha suas opiniões em mensagens cheias de tabelas, gráficos e estatísticas”, disse DJ Sprague, CMO da JD Byrider.

3. Saiba sobre o que falam de você na internet

“Existem algumas maneiras de avaliar como você é visto por outras pessoas online. A primeira delas é simplesmente configurar Alertas do Google para si mesmo, o seu negócio, e quaisquer URLs associadas. Isso permitirá que você saiba quando está sendo mencionado e em que contexto”, explica Alexandr Kraminsky, CEO da Prestige Barbers.

4. Crie relacionamentos com outros influenciadores

“Para quem você pode lugar, enviar uma mensagem no Facebook, ou escrever um post convidado para o seu blog? Se a sua resposta honesta é ‘ninguém digno de nota’, você tem muito trabalho a fazer. Começar um networking com outros influenciadores da sua área pode ser muito útil. Não basta tentar ser bem conectado, faça de tudo para ser útil”, comenta Corey Leonard, CEO da StriveLending.

5. Marque presença fora das mídias sociais

“Você não pode tornar-se influente nas mídias sociais por gastar todo o seu tempo com elas”, explica Moe Davis Hamade, CEO da BlackNote. Isso quer dizer que não basta apenas escrever sobre um tema, também é importante ir a eventos relacionados a ele e se fazer presente no mundo real.

6. Puxe mais conversa

“São os influenciadores que começam as conversas. Uma maneira de fazer isso é criar algo grande para dizer e, em seguida, criar uma hashtag incrível. Dessa forma, as pessoas no Twitter vão começar a ver suas conversas”, diz Jody Pearmain, CEO da MyKeyManInsurance.

7. Não se afaste das polêmicas, mas evite drama

“Influenciadores não têm medo de falar o que pensam. Eles também não ficam receosos em confrontar os outros com suas divergências. Eles não têm medo de postar suas opiniões fortes sobre política, negócios e questões sociais”, diz Lia Mendoza, CEO da CruiseNewPortBeach.

8. Fale sobre suas realizações

“Aumentar sua influência nas redes sociais não é sobre popularidade. Trata-se de convencer os outros sobre suas qualificações e levá-los a enxergar você como um líder de pensamento. Isso significa que você precisa mostrar as suas realizações”, explica Peter King, CEO da Mamma.

9. Crie uma identidade

Talvez esse seja um dos principais pontos, pois é preciso que as pessoas reconheçam com facilidade as suas palavras. “Influenciadores têm grandes marcas pessoais. Parte disso é a criação de uma persona e ter uma voz que permanece consistente”, diz Dmitry Epelboym, CEO of CosmeticDentistryCenter.

10. Compartilhe coisas pessoais

“Blogueiros populares e influentes são conhecidos por postarem coisas pessoais relacionadas a negócios, doenças mentais, divórcio, autoestima e uma variedade de questões. Se você quer realmente ser um superstar da mídia social, abrace a vulnerabilidade e compartilhe coisas realmente pessoais que as pessoas possam se identificar”, explica Zoriy Birenboym, CEO da eAutoLease.

Fonte: Canal Tech

Twitter Brasil divulga lista de campanhas que se destacaram no segundo trimestre de 2019

O Twitter Brasil divulgou nesta segunda-feira, (1), a lista com as campanhas de marcas que souberam aproveitar os diferenciais da plataforma para transmitir sua mensagem à audiência de maneira criativa, impactante e efetiva durante o segundo trimestre de 2019. As marcas selecionadas no período foram Google CloudAxeUberLGAppleiFood e Natura.

A cada trimestre, o Twitter apresenta as campanhas de destaque na plataforma no período divididas em três pilares: estratégia de marca, estratégia de conteúdo e boas práticas de conteúdo em vídeo e uso de mídia. Em cada pilar, o Twitter elenca duas marcas que souberam aproveitar as características da plataforma para trazer conteúdos de qualidade e se conectar com os consumidores. Além disso, o levantamento interno indica uma campanha que reúne os elementos das três categorias.

Confira as marcas de destaque no Twitter no Brasil entre abril, maio e junho de 2019, divididas por pilares:

Estratégia de marca
(Marcas que foram capazes de analisar o comportamento do consumidor a partir das conversas no Twitter e aproveitaram a oportunidade para construção de marca na plataforma)

Google Cloud

Com o objetivo de falar sobre seu conjunto de soluções e serviços de computação em nuvem diretamente com tomadores de decisão, o Google Cloud adotou uma linha de comunicação baseada não apenas na apresentação dos recursos técnicos de seus serviços, mas sim no impacto que eles causam na produtividade e no dia a dia dos negócios. Para isso, a marca adaptou sua linguagem às pessoas e se comunicou através de parceiros que validassem a sua mensagem. A agência Blinks participou da iniciativa.

Vídeo incorporado

Valor Econômico

@valoreconomico

O que é Data Warehouse? A gerente de professional services do @GoogleCloud_BR Priscila Sergole explica sobre repositório de informações e a nova revolução tecnológica que estamos passando.

73 pessoas estão falando sobre isso

Axe

Para ganhar destaque em conversas relacionadas ao Lollapalooza Brasil, Axe engajou com usuários e respondeu em tempo real diversos Tweets sobre o tema. Tendo em vista que o posicionamento da marca é “Dá pra ter tudo”, e que muitas pessoas relataram no Twitter uma frustração de não poderem ir ao festival por conta do preço, Axe promoveu um sorteio de ingressos do Lollapalooza Berlim. Para participar, as pessoas tinham que Tweetar o nome de uma música que ouviram durante o Lollapalooza Brasil, marcando a conta da Axe e incluindo a hashtag #AxeNoLollaBR. O sorteio foi realizado assim que acabou a edição brasileira do evento. Em parceria com a área do Twitter que une criadores de conteúdo às marcas, Axe também contou com influenciadores digitais para engajar os usuários na plataforma. Toda a ação foi criada em parceria com UStudio e Tub Media.

AXE Brasil

@AXEBR

Vc pode curtir o Lolla Berlim com um amigo! Não para de tweetar: nome da música que tá rolando + + @axebr

Veja outros Tweets de AXE Brasil

Estratégia de conteúdo
(Marcas que utilizaram criadores de conteúdo para estabelecer uma conexão com a audiência e levar sua mensagem de forma natural e autêntica)

Uber

No lançamento do Uber Juntos, opção de transporte do Uber com preço mais acessível, a marca optou por utilizar o criador de conteúdo Otávio Albuquerque para apresentar os benefícios do serviço de maneira criativa e bastante visual. Uber uniu o influenciador, que participa da filmagem, narra a história e empresta sua imagem para que seja retratada de forma artística, com um estúdio de design Dirty Work, que produziu as filmagens e criou o personagem em ilustração. Assim, Otávio se transformou em desenho animado e destacou as vantagens do Uber Juntos de maneira divertida.

Vídeo incorporado

Otávio Albuquerque

@taviao

BREAKING NEWS: Depois do Tavião da airfryer, Tavião da bike dobrável, Tavião pai de pet, Tavião da corrida, chega o TAVIÃO DESENHO ANIMADO! E com uma dica show pra economizar com o Uber Juntos da @Uber_Brasil e gastar com o que realmente importa: bauruzinhos e discos do Tim Maia!

160 pessoas estão falando sobre isso

LG

Para se associar a um conteúdo de qualidade, do interesse do público e idealizado por um criador no Twitter, a LG patrocinou a série “Vidas Paralelas”, criada exclusivamente para a plataforma. Na produção, a criadora de conteúdo Patrícia dos Reis, conta em cinco episódios a história de pessoas que têm uma profissão comum, mas usam seu tempo livre para explorar habilidades curiosas, como bailarinas, musicistas, organizadoras a professoras. Ao apresentar essas histórias, Patrícia as conecta às mensagens importantes do novo smartphone LG K12+, como a qualidade da câmera, som e imagem, resistência a queda, entre outras. A agência Y&R participou da iniciativa, e a LG foi a primeira marca de tecnologia a patrocinar um conteúdo original no Twitter na América Latina.

Vídeo incorporado

Patrícia dos Reis

@pathy

Apreciem esse trailer maravilhoso de VIDAS PARALELAS, minha série aqui dentro do Twitter!

78 pessoas estão falando sobre isso

Boas práticas de vídeo e uso de mídia
(Marcas que foram bem-sucedidas no uso das boas práticas de conteúdo em vídeo e de mídia)

Apple

Para a campanha de lançamento do novo iPad Pro, a Apple utilizou vídeos de até 15 segundos focados em funcionalidades do produto apresentadas com elementos visuais que ajudam a contar uma história. Mesmo sem som, os vídeos mostram todas as principais vantagens do iPad Pro de maneira clara e assim alcançaram bons índices de engajamento na plataforma.

Apple

@Apple

Construa sua marca: Desenhe seu próprio logo do zero com o Affinity Designer e o Apple Pencil.

Veja outros Tweets de Apple

iFood

Com objetivo de incentivar o uso de seu serviço aos domingos, o iFood aproveitou as conversas no Twitter sobre Game of Thrones (GoT) para lançar a campanha #AFomeChegou e se conectar com a audiência interessada pela série e potenciais consumidores. Com vídeos animados de 15 segundos, a marca incentiva as pessoas a fazerem pedidos em sua plataforma antes do início de um episódio inédito da série, criando uma conexão genuína com os consumidores.

Vídeo incorporado

iFood

@iFood

De onde vem esse frio?

84 pessoas estão falando sobre isso

Destaque do trimestre
(Marca que apresentou bom uso das estratégias de conteúdo e marca, além de boas práticas de mídia)

Natura

Como parte de sua estratégia para o rejuvenescimento da marca, a Natura contou com o apoio do Twitter Brasil para estruturar um time inédito da empresa, dedicado a engajar em tempo real com usuários da plataforma. A formação do time seguiu o comprometimento da Natura com a diversidade, recrutando profissionais de diferentes gêneros, raças e orientações sexuais. Como resultado final do projeto, após analisar insights obtidos a partir do engajamento com o público, a Natura fez um reposicionamento da marca na plataforma. A empresa criou a persona “Nat Natura”, que substituiu a Natura Institucional no Twitter, e adotou uma nova maneira de se comunicar.

Vídeo incorporado

Nat Natura

@naturabroficial

Hoje é dia de luta, . Troque os seus “parabéns” por um “estou com você”. Em vez de dar flores, dê um abraço apertado. A gente precisa ser celebrada, mas precisa mais ser ouvida, respeitada e acolhida. Vamos todos juntos?

 Fonte: Ad News