Data Driven Marketing: saiba o que é e como usar essa estratégia

O uso em larga escala das tecnologias digitais gera uma tonelada de dados por meio de mídias sociais, aplicativos, blogs etc. Coletar, armazenar e decodificar essas informações é uma oportunidade pra entender profundamente o comportamento e os interesses do cliente. É aí que entra o data driven marketing.

A estratégia utiliza dados ricos sobre o consumidor e o mercado, pra tomar decisões mais certeiras. Assim, é possível atingir o cliente em cheio com uma experiência memorável e aumentar a efetividade de todas as ações de marketing.

Quer entender melhor o que é data driven marketing e como colocar essa tendência em prática na sua empresa? Então, continue a leitura!

O que é data driven marketing?

Como o próprio nome sugere, o data driven marketing — em português, marketing orientado por dados — é uma estratégia na qual todas as decisões são tomadas com base na análise de informações concisas. Ou seja, aqui nem o “achismo” nem o “feeling” têm vez. Tudo é guiado pelos dados!

Nesse modelo, o consumidor fica no centro da estratégia. O objetivo é conhecer toda a jornada do cliente e conseguir uma visão mais profunda sobre os desejos e necessidades do seu público. Com base nisso, as ações de marketing podem ser otimizadas e direcionadas pra atender cada comprador de forma individualizada.

Quais são os benefícios para o marketing?

O universo digital está crescendo, e com ele um amplo leque de oportunidades de negócios. O uso de tecnologias digitais gera uma infinidade de dados diariamente. Quando interpretadas, essas informações podem ser utilizadas pelo marketing pra gerar insights valiosos.

De acordo com um levantamento realizado pela International Data Corporation (IDC), empresa global de inteligência de mercado, a quantidade de dados gerados mais que dobra a cada dois anos. A previsão é que em 2020 o volume de dados seja de 44 trilhões de gigabytes.

Todas essas informações podem ser usadas pra otimizar as ações da sua empresa. Uma pesquisa realizada pela Google, em parceria com a Econsultancy, mostra que 93% dos profissionais de marketing concordam que a colaboração entre as equipes de marketing e análise é essencial pra gerar resultado. A seguir, você vai ver as principais vantagens da estratégia.

Segmentação mais precisa

Segmentar em marketing significa categorizar o público com base em interesses e comportamentos semelhantes. Na prática, é isso que permite que você atinja a pessoa certa, na hora certa.

O data driven marketing é uma ótima tática pra aprimorar a segmentação de consumidores. Afinal, com a análise de dados, é possível identificar quem é seu cliente, onde ele está, como ele interage com os diferentes canais e até quais são os horários em que ele está ativo.

Identificação de conteúdos relevantes

Criar ofertas relevantes é um princípio básico pra qualquer campanha na era digital. Mas como oferecer conteúdos adequados para o cliente sem sequer conhecer seus interesses e hábitos de consumo? Impossível, né?

Um dos benefícios do marketing orientado por dados está na possibilidade de identificar o que é relevante para o seu cliente ou não. Dessa forma, você consegue personalizar a comunicação e oferecer mensagens que realmente agreguem valor.

Otimização da experiência do cliente

Experiência é tudo! A vantagem mais evidente do data driven marketing é analisar todas as interações e usar esses dados pra melhorar a experiência do cliente. Afinal, as informações coletadas permitem que a comunicação seja personalizada, e ainda estreitam o relacionamento. Tudo isso resulta em um consumidor mais engajado e fiel à sua marca.

Maior retorno financeiro para a empresa

Campanhas orientadas por dados são mais certeiras, por isso apresentam um melhor Retorno sobre Investimento (ROI). De acordo com a Certain, empresas que implementaram o data driven marketing observaram um aumento entre 10 e 20% em seu ROI.

Como vimos, as vantagens de adotar a estratégia no seu negócio são incontestáveis. Mas, afinal, como colocar isso em prática? A seguir, você vai ver algumas dicas pra implementar a técnica na sua empresa.

Como usar essa estratégia?

O data driven marketing pode ser utilizado em todas as etapas da jornada de compra, desde a descoberta, passando pelo processo de reconhecimento, consideração e decisão, até as ações de fidelização.

Por isso, antes de colocar a estratégia pra rodar, o primeiro passo é fazer um planejamento a fim de definir os objetivos de cada campanha. Independentemente do propósito, é importante ficar de olho nas dicas que vêm a seguir.

Adote tecnologias adequadas

Sem tecnologias pra coletar, armazenar e interpretar os dados, o data driven marketing seria inviável. Sendo assim, a escolha de softwares especializados na governança de dados é um fator determinante para o sucesso ou o fracasso da estratégia.

Priorize a qualidade dos dados

Não basta reunir uma quantidade de dados quaisquer. Claro que é importante coletar informações vindas de diversas fontes — como mídias sociais, ferramentas de CRM, aplicativos, blogs, vídeos, imagens, relatórios de atendimento etc. Mas é bom lembrar que esses dados isolados não apresentam nenhum valor estratégico.

É necessário filtrar as informações e priorizar a qualidade. A interpretação dos dados é tão importante quanto a coleta. É no processo de cruzamento e análise de dados que um amontoado de informações vira conhecimento estratégico.

Segmente as campanhas

Quando uma pessoa se depara com um anúncio no Facebook que não tem nada a ver com seus desejos e interesses, ela vai rolar a página sem dar a mínima atenção pra ele, certo? Pode até ser que ela fique incomodada. Nesse caso, a empresa desperdiçou tempo e dinheiro com o público errado. É por isso que a segmentação é tão relevante.

Se você já conhece bem quem quer e precisa atingir, é possível aumentar a eficiência das campanhas. Assim, a comunicação é direcionada pra quem está predisposto a consumir conteúdos, produtos e serviços da sua empresa. Por consequência, as ações geram maior engajamento e resultados mais efetivos.

Personalize as ações

Anote aí: usar o data driven marketing pra fazer uma abordagem one to one é uma dica de ouro. Isso cria a sensação de que a oferta é única e foi desenvolvida especialmente para aquele cliente específico. E foi mesmo!

Portanto, invista em recursos pra compreender o que os consumidores realmente desejam. A comunicação personalizada precisa considerar gostos, interesses, hábitos e informações pessoais (como nome e data de aniversário). Quanto mais precisa ela for, maior será o valor percebido pelos compradores.

Mensure os resultados

A performance de uma campanha nesse modelo é 100% mensurável. Por isso, é importante criar indicadores de desempenho pra verificar se o plano está dando certo ou não. O acompanhamento constante dos resultados permite realizar ajustes eventuais e aprimorar a estratégia.

No data driven marketing, todas as decisões são orientadas por dados. Isso permite que você tenha um profundo conhecimento sobre os hábitos do cliente e, consequentemente, crie ações mais efetivas. Portanto, use o poder dos dados pra alavancar os resultados do seu negócio!

Fonte: Mutant

 

COMO AUMENTAR A TAXA DE CONVERSÃO EM MEUS CANAIS DIGITAIS?

Hoje vivemos na era da experiência, o que é muito contrária a era das vendas, que acontecia entre 1920 e 1940, onde a diferenciação e concorrência eram os preços dos produtos e serviços.

Com o passar de anos, chegou a internet e com ela o posicionamento marketing de produtos, os 4 p’s do marketing até hoje com a nova era da experiência.

novo consumidor não busca apenas o melhor preço ou a melhor qualidade de produto, ele busca a experiência que a marca pode oferecer durante o consumo do produto ou serviço entregue.

O público possui acesso a informações de forma contínua e rápida. Sem tempo de consumir o bombardeio de informações disseminadas pelos veículos, essas pessoas buscam seguir marcas que estão de acordo com o seu perfil de consumo.

O público consome cada vez mais vídeos, fotos e textos curtos e objetivos que acionem sentimentos como emoção ou alegria, assim, isso insere-se de forma mais verdadeira na história da pessoa.

Entenda o que é marketing de conteúdo: Qual a importância do Marketing de conteúdo para a sua empresa?

As empresas buscam inserir-se nesse novo modelo de  relacionamento com o consumidor, fazendo pesquisas para desenvolverem ações que convertam suas vendas.

Afinal, como converto ações em vendas?

O primeiro passo, é entender seu target, sabendo isso, a empresa consegue medir previsões de retorno de suas futuras ações.

Após entender o target e onde ele  está, a empresa deve trabalhar branding e performance de forma integrada, sabendo que essas duas palavras devem andar juntas sempre.

Branding é algo construído a médio e longo prazo, num conjunto de ações e estudos. Já a performance é algo com resultado a ser medido a curto prazo, com o objetivo de conversão.

Saiba mais sobre branding: Saiba o que é branding e como isso influencia na sua empresa

Aumentar a conversão de vendas é além de uma meta, é manter o posicionamento e imagem da marca positivos diante da sociedade.

Clareza no posicionamento de marca é um dos passos para manter a empresa fortalecida. Além disso, a relação entre consumidor e empresa é algo que deve ser muito transparente, humanizado e ágil.

Fonte: Digitalks

Twitter passa a procurar ativamente por conteúdo impróprio

Em uma publicação em seu blog nesta terça-feira, 16, o Twitter anunciou que a partir deste ano começou a analisar com mais proatividade conteúdo impróprio publicado nas redes sociais. Anteriormente, a equipe da plataforma apenas avaliava conteúdo denunciados por outros usuários. Hoje, os próprios times da empresa sinalizam publicações com teor abusivo, de ódio, que encorajam automutilação, ameaças e demais formas de violência. De acordo com o comunicado assinado por Donald Hicks, vice-presidente de serviço, e David Gasca, diretor de produto do Twitter, atualmente 38% das sanções são feitas pela equipe da empresa.

A plataforma também afirmou que está implementando novas medidas para aprimorar a denúncia e identificação de tais conteúdos impróprios. Uma das iniciativas é adicionar avisos na plataforma para tornar clara essas medidas, como quando a empresa mantém publicações que, embora tenha sido denunciadas, é de interesse público.

Em breve, as regras serão atualizadas para fornecer maior clareza, disse o Twitter. A expectativa é que em junho a empresa teste ferramentas para maior controle do usuário, permitindo, por exemplo, que ele oculte as respostas às suas publicações.

Fonte: Meio Mensagem

Presença digital para empresas: entenda por que é tão importante para o seu negócio

Será que uma empresa vai alcançar o público-alvo de forma plena sem apostar no potencial da internet? A resposta é não em quase 100% dos casos. Isso porque em grande parte dos empreendimentos investir na rede mundial de computadores é fundamental para ganhar mais visibilidade.

O cenário atual mostra que a presença digital para empresas é algo imprescindível para construir uma imagem positiva e estar mais influente no cotidiano dos consumidores. Ignorar as possibilidades de ganho proporcionadas pela web é um dos maiores erros que um empresário do ramo de design pode cometer.

Saiba o que é presença digital

Essa ação consiste na maneira como de uma empresa utiliza os recursos digitais para consolidar uma posição no mercado e chamar a atenção do público.

A presença digital para empresas é um elemento vital para a estratégia de branding, porque trabalha com a imagem que a organização pretende transmitir para o mercado e mostra como a companhia busca se relacionar os clientes.

Em outras palavras, a presença digital tem como meta a construção de uma marca sólida, que passe para os consumidores alguns valores essenciais para o sucesso, como agilidade, credibilidade e transparência.

Conheça os motivos para investir no mundo digital

Após compreender o que é presença digital para empresas, vale a pena saber as razões que justificam um escritório de design, por exemplo, estar inserido em diversos canais eletrônicos.

Cotidiano digital dos clientes

Hoje, a maioria das pessoas têm um smartphone ou outro dispositivo móvel para acessar a internet. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 116 milhões de brasileiros estão conectados à rede mundial de computadores.

Isso mostra que a população usa os meios digitais para realizar diversas atividades, como fazer compras, pagar impostos, escolher as opções de lazer para o final de semana, tirar dúvidas sobre serviços, entre outras.

Muitos brasileiros utilizam os smartphones como principal recurso de acesso à internet. Por isso, a estratégia para se aproximar do público-alvo necessita levar em consideração às características dos dispositivos móveis na hora de utilizar um criador de sites ou uma plataforma para loja virtual.

Mais chances de aumentar a visibilidade

Por mais que a famosa propaganda boca a boca tenha o seu valor, estar na internet é uma excelente alternativa para estar mais próxima dos clientes.

Ao ficar na primeira página do Google, um escritório de design tem boas possibilidades de fechar negócios e de expandir os lucros. Afinal, esse mecanismo de busca é adotado por praticamente 100% dos internautas, no Brasil.

Estar bem localizado no Google é uma forma de reforçar a presença digital para empresas. Muitos consumidores, antes de fazer uma compra, fazem pesquisas sobre a reputação da companhia e os preços disponíveis no mercado.

Interação mais ativa com o público-alvo

Segundo um estudo da plataforma de mídia Hootsuite em parceria com a agência We are Social, o Brasil tem 140 milhões de usuários ativos nas redes sociais. Esse número, com certeza, indica que a presença digital para empresas é mais do que necessária para obter um desempenho expressivo nas vendas.

Um canal no YouTube, por exemplo, pode promover uma maior identificação dos consumidores com um escritório de design por meio da criação de um conteúdo que seja educativo e atraente para o público-alvo.

Não ter um perfil no Facebook atualmente é praticamente o mesmo de deixar de investir em um site. O Brasil é um dos países que têm uma maior presença na rede social mais usada no mundo.

Vendas disponíveis 24 horas por dia

Manter uma loja física aberta o dia inteiro não faz sentido, concorda? Por outro lado, contar com um site para expandir as vendas é uma excelente forma de garantir a presença digital para empresas.

Um dos motivos é que os clientes têm mais facilidade e comodidade de fazer compras pela internet. Afinal, podem escolher o horário que desejam comprar, pesquisar preços com tranquilidade e verificar como os produtos e serviços das corporações são avaliados.

Além disso, não precisam sair de casa nem enfrentar filas longas para pagar a conta no caixa. Essas vantagens mostram que uma empresa deve ter um site. Do contrário, perderá ótimas chances de expandir as vendas e de fortalecer a participação no mercado.

Concorrência já está atenta ao mundo digital

Se um empreendedor fizer uma análise de mercado antes de abrir um negócio, perceberá que muitos concorrentes já estão aproveitando a potencialidade da rede mundial de computadores para atrair o público-alvo.

Muitas companhias sabem que a internet oferece grandes oportunidades para conquistar clientes de diversas regiões de um país e até do exterior. Um restaurante de uma cidade turística, por exemplo, pode contar com um site, anúncios no Google e perfis nas redes sociais para divulgar promoções.

Promover o estabelecimento adotando uma estratégia inteligente na web é crucial para manter o negócio com um crescimento sustentável, o que contribui para fortalecer a marca.

Veja como garantir a presença digital para empresas

Muitos empresários sabem que a internet é perfeita para alavancar as vendas. Mas de que maneira explorar as potencialidades do mundo digital? Para responder a essa pergunta, mostraremos alguns recursos que podem ser explorados por um escritório de design.

  • Site (deve conter dados sobre o histórico da empresa, serviços disponíveis, links para as redes sociais e blog corporativo);
  • Blog Corporativo (é um instrumento que ajuda a educar o público-alvo e ajuda a empresa a ser localizada nos mecanismos de busca com mais facilidade);
  • Buscadores (contar com uma posição privilegiada no Google e no Bing, por exemplo, é peça-chave para aumentar a visibilidade);
  • Redes Sociais (Facebook, Twitter, YouTube, WhatsApp e LinkedIn permitem uma interatividade com diferentes segmentos do público-alvo, o que contribui para analisar as tendências do mercado);
  • E-mail marketing (é uma ferramenta que ajuda a lembrar os clientes de ofertas imperdíveis e de mantê-los conectados com a marca).

É inegável que um escritório de design deve estar presente no mundo digital. Mas isso deve ser feito com criatividade e bom senso. Não adianta investir em campanhas, caso o público-alvo não seja atingido de forma impactante. Sem dúvida, contar com um site dinâmico e com um bom logo farão com que o seu negócio seja mais atraente para o público-alvo.

Fonte: Designers Brasileiros

Tomador de decisão, influenciador de opinião e o comprador: Como entender a jornada do consumo pode fazer o marketing digital impulsionar o mercado B2B

Com um mercado cada vez mais competitivo, tem se tornado um desafio para empresas com foco em B2B divulgar os seus produtos, apesar de ainda existir um espaço muito grande para crescer por meio de estratégias de marketing digital. São inúmeras possibilidades por meio de novas segmentações, canais e formatos para utilizar este tipo de plano.

O desafio das estratégias de marketing digital para as empresas que visam negócios B2B é saber distinguir o tomador de decisão, influenciador de opinião e o comprador. “Por exemplo, se a estratégia estiver focada no comprador, mas ele não é o tomador de decisão, a chance dessa iniciativa fracassar é enorme. Após a diferenciação entre os profissionais, chega o momento de saber impactá-los nos diversos horários, seja durante o trabalho ou lazer”, destaca Douglas Ribeiro, Operations Manager da GhFly, é uma agência referência em marketing digital e líder em performance.

Para Diego Carmona, CVO da leadlovers, plataforma de automação de marketing digital, identificando que a responsabilidade e a relação em negócios B2B, é um pouco diferente das negociações B2C, principalmente quando se trata de público, é evidente que a estratégia muda ”Claro que sem deixar de lado o fato de que são pessoas do outro lado, mas levando em consideração que o peso na mão da pessoa que negocia é maior por afetar a instituição inteira”, diz Carmona.

Também é importante levar em consideração que por ser uma venda mais complexa, o público costuma ser mais exigente, seletivo, high touch e fiel. “Eles não compram por impulso, logo, exigem uma negociação muito pautada pela racionalidade e pela clareza de todos os pontos”, afirma Taynar Costa Marketing Coordinator da DIWE, primeira agência de profound marketing do país.

Outro ponto, é que jornada de compra no B2B é, geralmente, mais longa, muito pautada pela racionalidade e negociação e passa por diversas etapas, como análises da necessidade do produto, orçamento disponível e necessidade do investimento. “Nesse sentido, as ações devem ser mais direcionadas, segmentadas e com cadências mais frequentes e objetivas. É preciso ter um entendimento maior sobre o setor em que o negócio está inserido, bem como as necessidades de médio e longo prazo, se pensarmos na necessidade de se tornar um parceiro estratégico” finaliza Taynar.

Para compreender a melhor maneira de se comunicar com o seus públicos de interesse e elaborar um planejamento mais assertivo é importante fazer uma análise de mercado. Nesse sentido uma ferramenta de Big Data Analytics é imprescindível. “Adotar o uso desse tipo de plataforma é fundamental. Com elas é possível trazer dados de inteligência competitiva e fortalecer as decisões dos gestores de comunicação e marketing, desde a etapa do planejamento até a mensuração de dados”,afirma Eduardo Prange, CEO da Zeeng primeira plataforma de big data analytics voltada para o setor de marketing e comunicação. “Quem não utiliza esse tipo de ferramenta acaba tendo mais dificuldade operacional para conseguir informações, mesmo que seja da sua própria empresa, já que o objetivo desse tipo de plataforma é complementar informações que as organizações têm de si, com os elementos do mercado em que atua”, finaliza Prange.

Vale ressaltar que a conexão emocional com marcas B2B é superior ao B2C, conforme revela o Google e Motista. Isso indica que a fidelidade e confiança tendem a ser maior, logo é muito importante ter uma estratégia adequada não somente durante a aquisição de novos clientes, mas na manutenção deles.

Fonte: Ecommercenews 

As redes sociais têm prazo de validade?

As redes sociais já fazem parte do dia a dia das pessoas há bastante tempo. Uma pesquisa recente feita pela Rock Content, startup de software as a service, apontou que no Brasil, 96,2% dos usuários de internet estão em alguma rede social, 18,2% a mais do que mostrou o estudo do no passado. Mesmo assim, muitas delas crescem e morrem rapidamente e esse é um retrato do que vivemos hoje. Há uma volatilidade muito grande, as coisas surgem muito rápido e acabam na mesma velocidade.

Como o caso do Orkut, por exemplo, apesar de ser uma rede que todos gostavam muito, aliás, umas das primeiras que mais se assemelham as que usamos hoje e que aculturou os brasileiros em relação a social, não durou muito tempo após a chegada do Facebook. Isso porque tudo evolui muito rápido, principalmente na internet, e o Orkut não acompanhou as mudanças que os usuários ‘pediam’. Dessa maneira, o Facebook ocupou o espaço e ainda hoje é umas das redes preferidas dos brasileiros. Um dos motivos de continuar em ‘alta’ é por estar sempre se reinventando e atualizando suas funcionalidades, de acordo com as expectativas das pessoas.

Outra que recentemente chegou ao fim foi o Google Plus. Sua proposta era muito interessante, porém, bem distante do que o perfil de usuário está procurando quando acessa uma rede social. Além disso, muitas pessoas se perguntam por que ter mais de uma, quando você tem uma que contempla todas as suas necessidades?

É preciso que algo seja realmente inovador para despertar o interesse dos usuários. As redes sociais que surgiram com ideias diferentes, como o Instagram e o Snapchat, por exemplo, rapidamente receberam propostas de compra do dono do Facebook. A primeira foi comprada e hoje em dia é a quarta rede mais acessada do Brasil. Já o Snapchat, recusou e é uma das menos acessadas, ficando em 10º lugar e em 17º no ranking mundial, de acordo com o estudo produzido pela We Are Social, agência global de marketing, em parceria com a plataforma de mídia Hootsuite, um sistema norte-americano especializado em gestão de marcas na mídia social.

Outro ponto a ser levado em consideração é que o perfil de usuários nas redes muda muito de uma para outra. E a tendência é que isso continue em constante transformação com a chegada de novas gerações. Muitas empresas já perceberam isso e sabem muito bem onde e como impactar seus públicos de interesse. O estudo da Rock Content mostrou também que 43,6% das empresas fazem divulgação nas redes sociais seguindo um calendário editorial e alcançam uma média de visitas 1,5 vezes maior do que aquelas que não utilizam o recurso. O que mostra a relevância de ter a sua empresa nas redes hoje em dia.

Em linhas gerais, o que fica claro é a importância de estar sempre atualizado e de acordo com as tendências do mercado e com as redes sociais é a mesma coisa. Além disso, sabemos que as gerações atuais cansam muito mais facilmente de tudo e a tendência é que isso seja ainda mais presente com as gerações que estão chegando. Sendo assim, o meu questionamento é: as redes sociais têm prazo de validade? Acredito que vale pensar que é preciso se reinventar sempre porque, assim como a tecnologia, as pessoas estão em constante evolução e em busca de novidades.

Fonte: Portal Makingof

Zeeng entre as melhores ferramentas de marketing digital do mercado brasileiro

A Zeeng foi eleita a segunda melhor ferramenta de marketing digital do mercado brasileiro 😀

A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) apresentou ontem (terça, 16/4) durante o Prêmio ABComm de Inovação Digital 2019, a lista dos profissionais e empresas campeãs do prêmio de melhores do mercado digital.

 A premiação tem o propósito de reconhecer quem vem se destacando no setor e reconheceu cases e empresas de destaque nas categorias:

  • Destaque em Serviços Digitais
  • Melhor Plataforma de E-commerce
  • Ferramenta de Marketing Digital
  • Logística no E-commerce
  • Melhor Agência de Performance
  • Destaque em Tecnologia Web
  • Start-up do ano

Já a premiação dos profissionais estava dividida nas categorias:

  • Profissional de Marketing Digital
  • Profissional de E-commerce
  • Profissional de Tecnologia
  • Empreendedor Digital

Os vencedores foram revelados durante evento o DigitalizeME, em São Paulo. Além da premiação, o DigitalizeME apresentou debates e palestras sobre omnichannel, e-commerce, marketing digital, logística, meios de pagamento e antifraude, e também um painel juntamente com um prêmio para as mulheres no e-commerce.

Os 5 pontos por trás das campanhas de páscoa bem-sucedidas (apoiado por dados)

Não importa a estratégia, a melhor abordagem para maximizar seu orçamento nas campanhas de Páscoa é através da coleta de dados

A Páscoa está virando a esquina – e mesmo que o seu negócio não esteja diretamente ligado ao feriado, é possível aproveitar o período de caça aos ovos com campanhas excelentes.

Conforme as famílias se preparam para passar o dia cozinhando e criando memórias juntas, essa época representa uma oportunidade particularmente grande para os comerciantes no setor de alimentos.

De acordo com a Federação Nacional de Varejo, só no ano passado era esperado que fosse gerado US$18,2 milhões em valor de receita nos Estados Unidos – e isso representa muitos coelhos de chocolate.

E por falar em coelhos de chocolate, de acordo com a Mintel, os lançamentos de chocolates na Páscoa cresceram 23% em 2018. Brasil, África do Sul, Alemanha, Reino Unido e França lideram as vendas. No Reino Unido, país de origem da Mintel, o feriado rendeu cerca de US$835 milhões em 2018.

Então, neste ano, nos concentrando no setor de alimentos para ajudar você a alcançar famílias de todos os lugares, desde a caça anual de ovos de Páscoa até a mesa de jantar. Estamos revelando onde os profissionais de marketing têm as maiores oportunidades segmentadas e como podem criar campanhas de impacto.

Nossos insights são confirmados por milhões de cliques e bilhões de reações

Esses insights são baseados em análise de 10.148.681 cliques e 7.754.841.162 reações a campanhas como essas da Taste of Home:

As marcas estão usando a Taboola para circular conteúdos relacionados à Páscoa e são bons exemplos para os comerciantes de alimentos na hora de criar suas campanhas para o feriado.

Não importa a estratégia, nós sinceramente acreditamos que a melhor abordagem para maximizar seu orçamento é através da coleta de dados – e estamos usando esses dados para ajudá-los a capitalizar as oportunidades.

Nós definimos oportunidade na intersecção entre oferta e procura. Quando há alta demanda para conteúdo, mas baixa oferta, é uma grande oportunidade.

Nesse contexto, a demanda é definida como uma taxa de cliques (CTR). Se alguém clica em um conteúdo, presumimos que a pessoa quer vê-lo. Oferta é a porcentagem de gastos que os comerciantes destinam para esse tipo de conteúdo em nossa rede.

Agora que esclarecemos isso, aqui está o que nossos dados revelaram.

Para quem falar: construindo o seu público para a Páscoa

Seu público sempre será exclusivo para a sua marca e o conteúdo da sua campanha. Embora não possamos te dizer exatamente qual será a melhor audiência para a sua marca, podemos dizer como encontrá-lo.

Siga esses cinco passos para definir o seu público da Páscoa:

● Comece sua campanha com segmentação ampla. Nós recomendamos algo tão amplo quanto a sua rede.

● Use a primeira semana para coletar dados do público que responde. Use esses dados para identificar os segmentos do público que funcionarão para você.

● Na segunda semana, teste alguns desses segmentos do público. Preste especial atenção ao modo como diferentes públicos-alvo estão respondendo a diferentes anúncios.

● Ajuste os anúncios. Faça teste A/B para melhores resultados do público.

● Repita.

A seguir, falaremos sobre os tipos de conteúdo. A escolha do conteúdo a ser exibido afetará o desempenho do seu público e suas ações.

O que executar: escolhendo o conteúdo que terá o maior impacto nas vendas

A maior oportunidade para os comerciantes da indústria de alimentos envolve galerias de fotos – há uma alta demanda para esse tipo de conteúdo durante todo o ano e não há muita oferta.

O vídeo na página de destino também representa uma grande oportunidade para os comerciantes de alimentos que pretendem se destacar na competição neste feriado.

Quando se aproximar dos consumidores: horas do dia e da semana com melhor desempenho

Conteúdos sobre comidas têm melhores desempenhos quando são distribuídos aos domingos e terças-feiras. Esses dias apresentam alta demanda de consumidores interessados em produtos alimentares e ambos são dias em que a oferta é menor que a demanda.

Se você realizar campanhas de testes nas terças-feiras, é importante notar que os dias úteis não são os melhores para alcançar seus consumidores. A maior oportunidade de sucesso reside nas primeiras horas da manhã ou ao anoitecer, quando as refeições são planejadas.

Onde contatar os consumidores: tipos de dispositivos com melhor desempenho

Você deve ter ouvido que os dispositivos móveis são os melhores locais para contatar seus consumidores e estamos aqui para dizer que isso continua sendo verdade. A maior demanda por conteúdo de alimentos existe primeiro em aparelhos móveis, em segundo lugar em tablets e em terceiro em desktops.

Nesta Páscoa, teste suas campanhas nos dispositivos móveis para vencer a concorrência.

Como: exemplos de insights e campanhas criativas para te inspirar

Antes de mergulharmos nos exemplos, vamos falar de objetivos. O “como” do planejamento de campanha, com certeza, incluirá como medir os seus principais indicadores de desempenho (KPIs).

A competição dentro da indústria alimentar é medir as visualizações de páginas durante a distribuição de conteúdo via publicidade. Teste algumas campanhas através deste tipo de plataforma nesta Páscoa.

Você está pronto para lançar a campanha perfeita – mas está faltando um elemento crítico. Anúncios criativos que são atraentes e de alto desempenho.

Conteúdo patrocinado: mantenha-o colorido e numere suas manchetes

Quando estiver trabalhando com conteúdo patrocinado – para direcionar os consumidores para sua galeria de fotos, por exemplo – tente usar texto nas imagens e, definitivamente, use fotos coloridas. Estamos vendo as taxas de cliques crescerem 120% nestes tipos de fotos.

Suas manchetes também são importantes. Para conteúdos de alimentos, tente usar listas numeradas para atrair demanda. Vemos palavras como “um” e “três” crescerem cerca de 134% nas taxas de cliques.

Exemplo de campanha: Plated conquistou 12% a mais de inscritos

Plated, uma marca de assinatura de comida popular, usou conteúdo patrocinado em campanhas para atrair inscrições através de suas páginas de artigos. Testes A/B em thumbnails, manchetes e fontes de conteúdo levaram a um enorme aumento nas assinaturas.

Por fim, continue testando

Nunca é demais reforçar a importância do teste A/B. Os pequenos detalhes do seu público irão afetar muito essas recomendações.

Use essas recomendações como um ponto de partida para a sua campanha de Páscoa.

● Quem: use a segmentação em grande escala primeiro para encontrar públicos-alvos que atendam às suas metas.

● O que: teste galerias de fotos ou conteúdos em vídeo.

● Quando: experimente as primeiras horas da manhã ou o anoitecer da terça-feira e domingo.

● Onde: foque nos dispositivos móveis.

● Como: foque na sua região para as campanhas de sua marca. Mantenha as imagens coloridas, vídeos e manchetes numeradas.

Embora as práticas recomendadas sejam um ótimo jeito de começar, é importante lembrar que elas estão sempre mudando, especialmente na internet. A Taboola Trends pode te dar mais alguns insights em tempo real por categoria, idioma e região.

Fonte: Digitalks

Publicidade digital alcançará US$ 9 bi na América Latina

Os investimentos feitos em publicidade no ambiente digital deverão alcançar o montante de US$ 9,17 bilhões na América Latina em 2019. A previsão faz parte da edição deste ano do estudo Latin America Ad Spending, realizado pela consultoria eMarketer.

De acordo com a pesquisa, a expectativa é que, até o ano de 2023, sejam investidos US$ 82, 1 bilhões em publicidade digital na região. Desse valor, mais de US$ 5 bilhões deverão ser direcionados para a mídia mobile. A pesquisa da eMarketer foi realizada com base em números fornecidos por agências e empresas digitais do continente, entre elas, a Logan, presente em oito países latino-americanos (entre eles, o Brasil).

Pelos cálculos da eMarketer, o investimento total gerado pela publicidade em 2019 será 14,1% do que no ano anterior. Apesar da perspectiva positiva para o setor, a pesquisa ressalta que a evolução da publicidade digital na região ainda é inferior à média mundial e que o mobile tende a ser o pilar que puxará a maior parte dos investimentos da área, sobretudo com a sofisticação dos smartphones e a ampliação do acesso aos serviços de internet.

O relatório projeta, ainda, que o Brasil continuará sendo, ao final de 2019, o maior mercado de anúncios mobile da América Latina, respondendo por 50,7% de toda a verba publicitária do segmento na região. Na sequência estará o México, com uma fatia de 17,7%, seguido da Argentina, com 4,2%.

Considerando o investimento geral em publicidade digital, o Brasil também fica na liderança. A estimativa é que, ao final de 2019, o País responda por 53,7% de todo o valor investido em mídias digitais na América Latina.

Fonte: Meio e Mensagem

IBM explica venda de sua plataforma de marketing

Na semana passada, a IBM anunciou, em Nova York, um acordo definitivo para a venda de sua divisão Watson Marketing, plataforma que utiliza inteligência artificial para oferecer soluções de comunicação aos clientes. O comprador é o fundo de investimentos Centerbridge Partners e a ideia dos novos donos é construir uma empresa independente, e que ofereça um portfólio abrangente de produtos para atender aos maiores desafios do CMO em marketing e publicidade.

As soluções da plataforma incluem ferramentas de automação de campanhas, análise de dados e experiência dos clientes, um sistema de gerenciamento de conteúdo com tecnologia de inteligência artificial, além de diversas outras APIs. Como a transação ainda está sob revisão dos órgãos regulatórios, a IBM deu apenas poucos detalhes sobre como a negociação pode impactar algo na operação brasileira.

Por meio de um comunicado, no entanto, a companhia deixou claro que a venda da divisão está alinhada com os própositos estratégicos do grupo. “Podemos adiantar que como parte da estratégia da IBM para liderar nos segmentos emergentes e de alto valor da indústria de TI, atuamos com um modelo integrado que prioriza a inovação e a expertise em áreas como inteligência artificial, blockchain, cloud e supply chain”, diz o texto.

Dentro deste cenário, a IBM tambem aprofundou suas predileções em termos de direção de negócio. “As soluções de marketing e commerce vem sendo cada vez mais vendidas como produtos autônomos e não mais como parte central desse modelo integrado. Esse acordo definitivo assinado com Centerbridge é consistente com a nossa estratégia e acreditamos que a Centerbridge está bem posicionada para progredir com essas soluções no mercado”, finaliza o comunicado.

Nos próximos dias, a companhia deve anunciar um novo nome e identidade para a marca.

Fonte: Meio e Mensagem