Precisando de investimento? Saiba onde e como encontrar

Conseguir um investimento sempre é uma tarefa desafiadora para empreendedores que desejam agregar valor ao seu negócio. Para encurtar a distância entre a startup e o investimento que tanto precisa, elencamos algumas iniciativas que ajudam os empreendedores a encontrar o investidor certo, elaborar um pitch de sucesso, se conectar com os maiores players de empreendedorismo do Brasil e até mesmo ser orientado por mentores e especialistas nos temas mais relevantes para empresa.

Programas de aceleração

O InovAtiva Brasil oferece atividades online como mentorias coletivas e individuais, capacitações, eventos presenciais e a chance de se apresentar para a maior banca de investidores do Brasil, no Demoday InovAtiva que ocorre em São Paulo, gerando ainda mais visibilidade e conexão para a empresa.

Outra aceleradora que chama a atenção é a Spin. Especializada em startup indústria do Brasil, oferece mentorias com metodologias exclusivas do Vale do Silício, estrutura de escritório e salas de reunião em quatro cidades, programas exclusivos de governança corporativa para startups, coaching em grupo e individual, treinamentos, cursos, workshops e assessoria jurídica e contábil. “Nós acreditamos que a execução de um negócio é superior a ideia, por isso buscamos bons projetos e equipes com capacidade de entrega. Esses métodos ajudam as startups a se tornarem mais atrativas para os investidores, além de promover a conexão destas com possíveis clientes, indústria e grandes empresas”, conta Beny Fard, CEO da Spin.

Internacionalização

Com o StartOut Brasil, até 20 startups participam de ciclos de imersão nos mais promissores ecossistemas de empreendedorismo do mundo. A próxima edição ocorre de 24 a 29 de março em Santiago. Nela, os empreendedores irão visitar aceleradoras, incubadoras e empresas locais; participar de seminário de oportunidades, reuniões com prestadores de serviços e encontros de negócio organizados pelo programa; além de realizar uma apresentação para possíveis investidores e parceiros.

Coworkings

Os espaços de coworking têm buscado cada vez mais oferecer atividades que incentivam a conexão entre residentes com o objetivo de promover o crescimento das empresas, com a possibilidade de conquistar investimentos para o seu negócio. “Aqui no Co.W. nós sempre realizamos eventos com conteúdos direcionados aos mais diversos segmentos para criar conexões entre os empreendedores e investidores. Acreditamos que essa é a melhor maneira de fomentar o ecossistema como um todo”, afirma Renato Auriemo, CEO do Co.W., coworking que tem como objetivo conectar empresas, novas ideias e culturas diferentes em um clima voltado ao networking, inovação e a construção de um futuro cada vez mais próspero e empreendedor.

Eventos de empreendedorismo

A Summit Hub, empresa que chegou ao mercado com a missão de gerar conexões entre grandes players e novos empreendedores por meio de conteúdos e principalmente eventos, como é o caso da Gramado Summit, um dos maiores eventos para startups no Brasil. O grande objetivo do evento é alavancar o ecossistema brasileiro com a concretização de negócios e conteúdo de qualidade. Para isso, proporciona aos novos empreendedores a geração de um networking de qualidade, leads concretos e a possibilidade de ampliar seus projetos através da negociação com novos clientes e investidores.

Dicas de quem já recebeu investimento

Eduardo Prange, CEO da Zeeng, plataforma de big data analytics voltada para comunicação e marketing, participou do programa InovAtiva Brasil e compartilhou o que aprendeu: “Esteja atento e se questione sobre a real necessidade de buscar um investimento. Olhe e entenda até que ponto o capital é uma fraqueza da organização ou uma oportunidade. Se for fraqueza, linhas de crédito minimizam o impacto disso. Mas se for oportunidade, é porque você tem um negócio na mão que funciona, que pode ser tracionado e acelerado, e que só falta o dinheiro para isso acontecer”, explica Prange.

O CEO do Qranio, Samir Iásbeck, compartilha da mesma ideia. “Acredito que as startups precisam criar uma fundação sólida, para que os seu negócio seja ‘sustentável’. Os investimentos são vantajosos sim, mas entendo que a empresa deve ter um plano de negócio já consolidado, porque o crescimento acelerado pode ser um risco se ela não tiver faturamento e só estiver sobrevivendo de especulação e fundo de investimento”, afirma Iásbeck.

A BeeTech, fintech especializada em serviços digitais cross border como a Remessa Online e a BeeCâmbio, se aproxima cada vez mais do ecossistema internacional e chama atenção do mercado. Para Tatiana Delgado, Head of Business and Corporate Development, oferecer excelência aos clientes é a melhor forma de ter notoriedade. “Trabalhamos em prol do melhor serviço e, com parcerias que nos ajudam neste processo, chamamos a atenção de investidores. É inevitável que fiquemos mais conhecidos e em evidência”, explica. Em 2017 a empresa fez parte de um programa de aceleração da Visa e em 2018 recebeu um round Series A, além de firmar parceria com a Ripple para envio de remessas internacionais via blockchain.

A Agenda Edu, uma startup de educação que integra alunos, pais e escolas por meio de um app e de uma plataforma online. “Todo empreendedor, quando está captando investimento, precisa se questionar se está no momento certo para buscar investimento e se tem a maturidade necessária. Depois disso, deve encontrar um investidor que tenha uma tese de investimento aderida ao que ele está buscando. Por fim, após olhar esses pontos, tem que entender todos os riscos de uma operação como essa”, afirma Anderson Morais, CEO da empresa.

Fonte: Startupi

Novos recursos aprimoram oportunidades de publicidade no Youtube

No primeiro semestre, o Google anunciou novos recursos de publicidade no YouTube que fornecem aos profissionais de marketing mais controle sobre a segmentação e a otimização de seus gastos na plataforma. O YouTube é o segundo maior mecanismo de pesquisa do mundo, com mais de 30 milhões de usuários diários e mais de 1,5 bilhão de usuários conectados mensalmente em 88 países. Calculando apenas os visitantes de dispositivos móveis, o YouTube alcança o público de 18 a 49 anos, muito mais do que qualquer canal de TV a cabo nos EUA, por exemplo. Ou seja, a plataforma traz grandes oportunidades para as marcas.

“Com base nesses números, o YouTube deve ser uma parte extremamente importante da estratégia de marketing de todas as marcas. No entanto, muitas vezes os anunciantes hesitam em aproveitar ao máximo os tipos de anúncios e as ferramentas de segmentação disponíveis. Existem várias razões para essa discrepância: os profissionais de marketing são obcecados em focar sempre nas palavras-chave. Sendo que é necessário aproveitar a granularidade das opções de segmentação por público do Google”, explica o Gustavo Macedo, diretor da iProspect.

Embora o YouTube seja uma plataforma de descoberta, a caixa de pesquisa ainda é um componente fundamental. Mas enquanto as caixas de pesquisa no YouTube e no Google parecem semelhantes, o comportamento do usuário para cada uma é bem diferente. Pesquisadores do Google estão declarando sua intenção de maneira muito clara, fazendo uma pergunta e solicitando uma resposta. As pesquisas no YouTube são mais difíceis de analisar, embora muitas vezes haja alguma indicação de intenção, esse nível de percepção granular geralmente é mascarado pelo fato da pesquisa estar concentrada no consumo de conteúdo de vídeo.

Ao aproveitar esse recurso, os anunciantes podem segmentar os anúncios em vídeo do YouTube com base no comportamento de pesquisa anterior do usuário no Google, onde sua declaração de intenção é mais robusta. Os profissionais de marketing podem criar listas de até 5.000 palavras-chave, que conectadas as campanhas de vídeo do YouTube para veicular anúncios quando alguém que pesquisou essas palavras-chave anteriormente no Google está assistindo a um vídeo no YouTube.

Devido ao seu alcance fantástico, os anúncios do YouTube sempre foram ótimos para entregar KPIs de branding. A pesquisa, no entanto, é um canal desenvolvido para o desempenho de resposta direta. Ao criar um bloco de anúncios do YouTube criado a partir do zero como um jogo de desempenho, o Google espera alavancar sua longa história na geração de resultados de negócios tangíveis e expandir essa força no espaço do anúncio em vídeo.

“Estamos promovendo sempre os melhores recursos, individualmente combinando com outras opções de segmentação do YouTube e formatos de anúncios. Procurando uma atualização futura, compartilhando os aprendizados e resultados”, finaliza o Gustavo.

 

 

Fonte: AdNews