O que são métricas de um site

Os mecanismos de busca seguem um padrão para definir quem vai ser melhor posicionado, estes padrões podem ser chamados de métricas.

Existem várias métricas que definem seu projeto, nesse post, iremos tratar de apenas 5, são elas:

CF – Citation Flow;

TF – Trust Flow;

TR – Trust Ratio;

DA – Domain Authority;

PA – Page Authority.

Usaremos 2 ferramentas para analisar as métricas:

Majestic – Para verificar TF e CF;

MOZ Bar – Para analisar DA e PA.

As importantes métricas Citation Flow e Trust Flow foram lançadas pela majestic em 2012.

Agora vamos conhecer cada uma das métricas já apresentadas:

CITATION FLOW

O Citation Flow é o numero que indica as referências apontadas para seu site ou para a URL analisada. Ou seja, é a nota que o Majestic te dá em relação aos links que apontam para você

Por exemplo: No seu projeto, tem cerca de 100 sites apontando para ele, então com base nesses apontamentos, o majestic te dá uma nota, essa nota se chama: Citation Flow (CF).

TRUST FLOW

O Trust Flow mede a QUALIDADE dos backlinks que seu site recebe, ou seja, quanto mais backlinks você receber de um site com boa autoridade (DA), melhor sera sua métrica de Trust Flow.

Por exemplo: Você está recebendo 100 backlinks de 100 sites diferentes, isto é, 1 backlink por site, e estes 100 sites tem uma boa autoridade na internet, boas métricas, etc, então seu Trust Flow aumentará. Resumindo, seu site será confiante para poder passar trust flow para outros sites, interessante né? ;D

Ah – um pequeno detalhe – também é possível que um Trust Flow seja maior que um Citation Flow, isso quer dizer que os links que apontam para o site analisado vem de poucos sites de muita autoridade.

TRUST RATIO

Trust flow/Citation Flow = Trust Ratio

Essa matemática funciona muito bem, devido a certos parâmetros, Exemplo:

Imagine que o CF seja muito alto (100) e o TF super baixo (5), isso quer dizer que o projeto esta recebendo muitos backlinks ou links juice de um projeto que não tem tanta qualidade, ou quase nada de qualidade. Não adianta você ter vários sites apontando para seu projeto, sendo que eles não tem autoridade e qualidade nenhuma.

Em geral, quando isso acontece e porque possivelmente é um site de ‘spam’ apontando para o seu ou um site sem autoridade e de pouquíssima confiança para os buscadores.

O valor de um bom Trust Ratio é aproximado de 1. Claro, 2 seria melhor ainda…

Por exemplo: Se você tiver um projeto que o CF seja 11 e o TF de 15, aplicando a formula o resultado seria = 15/11=1,36, que é um excelente resultado… ;D

DA – DOMAIN AUTHORITY

O que é domain authority – “Domínio de Autoridade” é uma métrica criada pela empresa MOZ, serve para analisar a autoridade que tal domínio exerce na internet, vários fatores influenciam nessas métricas

PA – PAGE AUTHORITY

O que é page authority – “Pagina de Autoridade” também é uma métrica criada pela empresa MOZ, serve para analisar a autoridade de uma pagina.Você pode ter varias paginas no seu site, porem, nem todas tem a mesma autoridade, tanto é que algumas os motores de buscam indexam mais rápido e posicionam melhor, enquanto outras demoram muito e o posicionamento não e tão bom.

Fonte: Administradores

 

Ferramentas digitais geram conexões mais assertivas

No mundo fora do marketing digital, em que além de atingir seu público–alvo as empresas também impactavam os não alvos de maneira indireta, era mais difícil saber com quem uma instituição estava realmente “conversando”. Novas ferramentas inéditas vieram para mudar esse cenário e hoje é possível alcançar positivamente quem é considerado o real receptor da mensagem que se deseja transmitir.

Mas, esse novo cenário vai além da aproximação entre empresa e público. A realidade virtual proporciona mecanismos que garantem o contato direto com as pessoas certas, aquelas que querem ser atingidas e realmente precisam receber informações do produto oferecido naquele momento.

Grandes aliadas da implementação de estratégia para aproximar clientes de diversas empresas que o mercado possui hoje, as ferramentas que compõem o marketing digital geram conexões mais assertivas. Por isso, destaquei algumas ferramentas importantes para esse alcance:

Redes Sociais – Sem dúvidas uma parcela do seu público está nas redes sociais, por isso, é importante que a empresa conte com esse artifício em seu plano de marketing. Mas, é importante analisar a persona e o público-alvo e entender quais plataformas mais se identificam com a sua estratégia e os objetivos da instituição.

E-mail marketing – Essa ferramenta é essencial para conquistar clientes. É ainda o meio mais eficaz para potencializar conversão se seguindo um modelo de funil de vendas. Porém, é importante dividir a lista de contatos baseando-se em critérios como interesses ou perfil, para desenvolver uma comunicação distinta para cada segmento. Elaborar um layout que se encaixe na identidade da marca e trazer ofertas interessantes, também é importante.

Links patrocinados – A cada segundo, o Google processa cerca de 40 mil buscas. A empresa pode ter toda essa exposição ao alcance do negócio ao anunciar na página de resultados. Esse é o objetivo do Google AdWords, plataforma de links patrocinados do buscador. Nele, é possível escolher as palavras de buscas que gostaria de inserir anúncios e somente é pago quando o público realmente interagir com ele.

Rede de display do Google – Esse sistema de publicidade é atrelado ao Google Ads e permite mostrar conteúdo em uma série de páginas parceiras, o que inclui a maioria dos sites da Internet. Ao elaborar a campanha, o próprio algoritmo exibe o anúncio para o público certo, não importa onde ele esteja.

Inbound marketing – Um conjunto de estratégias voltadas para educar a audiência de forma contínua até que ela fique pronta para consumir. O inbound marketing não vai atrás do seu público-alvo. Em vez disso, utiliza conteúdo de qualidade para atrair essas pessoas e se estabelece como uma autoridade no meio de atuação de uma empresa. Dessa forma, é um caminho de como conquistar clientes usando ofertas pensadas para cada perfil e um planejamento.

Marketing de conteúdo – Para impactar a audiência de uma empresa e de forma competente, é preciso oferecer um conteúdo relevante que mereça receber engajamento. Isso significa que está na hora de implementar o marketing de conteúdo. Para isso, é preciso analisar quais parecem ser as principais necessidades do público e elaborar uma lista de possíveis pautas para explorar. Posts informativos, que são capazes de cativar o público porque oferecem justamente o que o público está procurando.

Vídeos – O formato audiovisual proporciona um consumo fácil por parte do público e pode ser um mecanismo bastante eficiente para divulgar uma marca e reter clientes. Ele pode ser utilizado em redes sociais e diferentes canais de comunicação. A ferramenta funciona como uma forma de engajar melhor o público, cativá-lo de maneira pessoal e entregar o conteúdo por uma fácil assimilação. Dá para mostrar entrevistas, tutoriais, incluindo assuntos complexos e o que mais se encaixar na estratégia da empresa.

Marketing local – O marketing local leva em consideração a geolocalização do usuário para oferecer a ele uma publicidade direcionada, voltada para aquele ponto. Portanto, é mais indicado a estabelecimentos físicos, como lojas, restaurantes, academias, entre outros.

Influenciadores digitais – A publicidade online não se faz apenas com a ajuda de anúncios bem direcionados, mas com ações estratégicas que são capazes de entregar resultados de qualidade superior ao convencional. Esse é o caso dos influenciadores digitais, personalidades de múltiplas áreas que conseguem direcionar um público grande para os produtos de uma empresa.

Mobile first – Os dispositivos mobile são responsáveis pela maioria dos acessos à internet no Brasil e podem trazer uma série de oportunidades bastante valiosas para uma empresa. Vale a pena pensar na força que um SMS possui ao chamar a atenção do público.

Análise de resultados – Esse não é um canal de marketing digital,mas é essencial para potencializar os retornos e garantir o sucesso de campanhas. Para isso, é necessário ter o hábito de mensurar os resultados das campanhas para ter certeza de dois pontos bem importantes: o que deu certo e o que precisa de ajustes.

Por fim, as ferramentas digitais são de extrema importância para a comunicação de uma empresa. Sem esse recurso se torna difícil estabelecer metas e entender a evolução e desempenho de campanhas e ações online. Por isso, use e abuse dessas soluções da melhor forma.

Fonte: It Fórum 365

Facebook desativou 2,19 bilhões de contas falsas no primeiro trimestre de 2019

Em anúncio oficial para a imprensa, o Facebook revelou que desativou 2,19 bilhões de contas falsas no primeiro trimestre de 2019. O número impressiona ao considerar o último trimestre de 2018, quando 1,2 bilhões de contas foram banidas.

O número de contas que tomamos ações aumentou por conta de ataques automatizados, feitos por pessoas mal intencionadas e que querem criar um alto volume de contas de uma vez só“, afirma o pronunciamento.

Considerando que a rede social tem 2,38 bilhões de usuários ativos mensais, a estatística torna-se ainda mais relevante. A estimativa feita pela empresa é de que 5% dessas contas não são reais; ou seja, aproximadamente 119 milhões de contas conseguem driblar os parâmetros de segurança da rede.

Alex Schultz, vice-presidente de Analytics do Facebook, afirma que mesmo com os 2 bilhões sendo impressionantes, o foco deve ser na porcentagem que realmente consegue entrar na rede social – no caso, os 5%.

Ele explica que as duas metas da rede são “prevenir o abuso das contas falsas ao mesmo tempo que dá o poder das pessoas compartilharem conteúdo por meio de suas contas autênticas. Temos que acertar o equilíbrio entre esses dois objetivos“.

Por fim, em seu Relatório de Transparência, o Facebook mostrou a evolução de sua inteligência artificial e machine learning. Seus sistemas conseguiram detectar mais de 95% dos conteúdos ofensivos antes deles serem reportados por usuários.

A porcentagem é bastante similar à dos trimestres anteriores, mas com um detalhe interessante: o número de conteúdos bloqueados caiu de 24,6 milhões para 19,4 milhões.

Apesar da melhora na identificação de posts problemáticos, a rede social reconhece que precisa melhorar a detecção de discurso de ódio – apenas 65% do conteúdo é encontrado antes de ser reportado; ainda assim, o número é 24% maior do que há um ano.

Fonte: The Enemy

7 certificações de análise de dados que compensarão

Análise de dados e big data são a força vital de qualquer negócio bem sucedido. Obter a tecnologia certa pode ser um desafio, mas construir a equipe certa com as habilidades certas para empreender iniciativas de big data pode ser ainda mais difícil. Não surpreendentemente, esse desafio é refletido na crescente demanda por habilidades e certificações de Big Data.

Se você está procurando uma maneira de obter vantagem, a certificação de big data é uma ótima opção. As certificações medem seus conhecimentos e habilidades em relação a benchmarks específicos do setor e do fornecedor para provar aos empregadores que você tem as habilidades certas. O número de certificados de análise de dados está se expandindo rapidamente.

Abaixo está o nosso guia sobre as mais procuradas certificações de análise de dados e big data para ajudá-lo a decidir qual é o certificado certo para você.

A certificação de análise de dados e de big data valem a pena?

As organizações estão em busca de cientistas de dados e analistas com experiência em lidar com big data.

Essas habilidades estão em alta demanda e são relativamente raras. Indivíduos com a mistura certa de experiência e habilidades podem exigir altos salários. As certificações certas podem ajudar.

De acordo com uma pesquisa recente da empresa de análise de tecnologia Foote Partners, a explosão de interesse por internet das coisas (IoT) está criando grandes déficits de pessoal. A IDC está prevendo um CAGR de 30% nos próximos cinco anos, enquanto a McKinsey espera que a IoT tenha um impacto econômico global de US$ 4 trilhões a US$ 11 trilhões até 2025, já que as empresas buscam mais insights sobre as tecnologias da IoT.

A Foote Partners acredita que a análise avançada de dados será uma das principais forças que impulsionam a IoT. Ela observa que as principais habilidades avançadas de análise na área de IoT incluem:

  • Apache Hadoop e módulos relacionados (HDFS, HBase, Flume, Oozie, Hive, Pig, YARN)
  • NoSQL and NewSQL
  • Apache Spark
  • Machine learning e data mining

“As capacidades avançadas de análise de dados são críticas demais para se manter competitiva”, diz David Foote, cofundador, analista chefe e diretor de pesquisa da Foote Partners. “Eles se expandiram em popularidade de alguns setores para quase todos os setores e mercados”.

As 7 principais certificações de análises de dados e de big data

  • Certification of Professional Achievement in Data Sciences
  • Certified Analytics Professional
  • Cloudera Certified Associate (CCA) Data Analyst
  • EMC Proven Professional Data Scientist Associate (EMCDSA)
  • MapR Certified Data Analyst
  • Microsoft Certified Solutions Expert (MCSE): Data Management and Analytics
  • SAS Certified Data Scientist Using SAS 9

Certification of Professional Achievement in Data Sciences

Certification of Professional Achievement in Data Sciences é um programa de graduação que visa desenvolver mecanismos com habilidades fundamentais em ciência de dados. O programa consiste em quatro cursos: Algoritmos para Ciência de Dados, Probabilidade e Estatística, Machine Learning para Ciência de Dados, Análise Exploratória de Dados e Visualização.

Organização: Columbia University

Preço: US$ 1.936 por crédito (um mínimo de 12 créditos, incluindo os quatro cursos, são necessários para completar o programa). Além disso, há uma taxa de inscrição não reembolsável de US$ 85 para o programa no campus e US$ 150 para o programa on-line. O programa on-line também inclui uma taxa de tecnologia adicional não reembolsável de US$ 395 por curso.

Como se preparar: um curso de graduação e quantitativa prévia e introdutória à programação de computadores são necessários.

Certified Analytics Professional

Certified Analytics Professional (CAP) é uma certificação analítica geral que certifica o entendimento completo do processo analítico, desde a estruturação de problemas analíticos e de negócios até a aquisição de dados, metodologia, construção de modelo, implantação e gerenciamento do ciclo de vida do modelo. Requer a conclusão do exame CAP e a adesão ao Código de Ética da CAP.

Organização: INFORMS

Preço: US$ 495 se você é um membro do INFORMS, ou US$ 695 se não for. O preço de equipe está disponível para as organizações.

Como se preparar: uma lista de cursos de estudo e uma série de webinars estão disponíveis por meio do registro.

Cloudera Certified Associate (CCA) Data Analyst

Um desenvolvedor de SQL que recebe a certificação CCA Data Analystdemonstra as principais habilidades de um analista para carregar, transformar e modelar dados do Hadoop para definir relacionamentos e extrair resultados significativos de produção crua. Ele exige a aprovação no exame de análise de dados CCA (CCA159), um conjunto controlado de controle remoto de oito a 12 tarefas práticas baseadas em desempenho em um cluster CDH 5. Os candidatos têm 120 minutos para implementar uma solução técnica para cada tarefa. Eles devem analisar o problema e chegar a uma abordagem ideal no tempo permitido.

Organização: Cloudera

Preço: US$ 295

Como se preparar: a Cloudera recomenda que os candidatos façam o curso Cloudera Data Analyst Training, que tem os mesmos objetivos do exame.

EMC Proven Professional Data Scientist Associate (EMCDSA)

A certificação EMCDSA demonstra a capacidade de um indivíduo de participar e contribuir como membro da equipe de ciência de dados em projetos de big data. Inclui a implementação do ciclo de vida de análise de dados, reformulando um desafio de negócios como um desafio analítico, aplicando técnicas e ferramentas analíticas para analisar big data e criar modelos estatísticos, selecionando as visualizações de dados apropriadas e muito mais.

Organização: Dell EMC Education Services

Preço: US$ 600 por streaming de vídeo-ILT; US$ 5 mil por curso ministrado por instrutor

Como se preparar: a EMC oferece um curso de treinamento, disponível em vídeo ou um curso ministrado por instrutor.

MapR Certified Data Analyst

A credencial do MapR Certified Data Analyst valida a capacidade de um indivíduo de executar análises em grandes conjuntos de dados usando uma variedade de ferramentas, incluindo Apache Hive, Apache Pig e Apache Drill. O exame testa a capacidade de executar tarefas típicas de ETL para manipular dados para realizar consultas. As perguntas abordam as consultas SQL existentes, incluindo a depuração de consultas malformadas de um determinado fragmento de código, a escolha das funções de consulta corretas para produzir um resultado desejado e as tarefas comuns de solução de problemas. O exame consiste em 50-60 perguntas em uma sessão supervisionada de duas horas.

Organização: MapR Technologies

Preço: US$ 250 para o exame

Como se preparar: o MapR recomenda que os candidatos se preparem com quatro de seus cursos: Introduction to SQL Analytics with Apache Drill, Apache Drill Performance e Debugging, Apache Hive Essentials e Apache Pig Essentials. O MapR também oferece um Guia de Estudo do MCDA.

Microsoft Certified Solutions Expert (MCSE): Data Management and Analytics

A credencial MCSE: Data Management and Analytics demonstra os amplos conjuntos de habilidades em administração SQL, criando soluções de dados em escala corporativa e aproveitando dados de business intelligence (BI) em ambientes locais e em nuvem. Para obter a certificação, os candidatos devem passar em um dos 12 exames.

Organização: Microsoft

Preço: US$ 165 por exame

Como se preparar: para obter essa credencial, você deve primeiro obter uma das sete Certificações Microsoft Certified Solutions Associate (MSCA): MSCA SQL Server 2012/2014; MCSA: SQL 2016 Database Administration; MCSA: SQL 2016 Database Development; MCSA: SQL 2016 BI Development; MCSA Machine Learning; MCSA: BI Reporting; or MCSA: Data Engineering with Azure. Além disso, a Microsoft oferece ferramentas de preparação para cada um dos 12 exames que levam à certificação MCSE: Data Management and Analytics.

SAS Certified Data Scientist Using SAS 9

A credencial SAS Certified Data Scientist Using SAS 9 demonstra que os indivíduos podem manipular e obter insights de big data com uma variedade de ferramentas SAS e de código aberto, fazer recomendações de negócios com modelos complexos de aprendizado e implantar modelos em escala usando o ambiente SAS. A certificação exige a aprovação de cinco exames que incluem perguntas de múltipla escolha, respostas curtas e interativas (em um ambiente SAS simulado). Os exames incluem:

  • SAS Big Data Preparation, Statistics and Visual Exploration
  • SAS Big Data Programming and Loading
  • Predictive Modeling Using SAS Enterprise Miner 7, 13, or 14
  • SAS Advanced Predictive Modeling
  • SAS Text Analytics, Time Series, Experimentation and Optimazation

Organização: SAS

Preço: US$ 180 por cada exame; US$ 250 para Predictive Modeling Using SAS Enterprise Miner

Como se preparar: o SAS recomenda que os candidatos se preparem usando seu currículo SAS Data Science da SAS Academy for Data Science. Ele custa US$ 4.400 para um curso de ensino à distância individualizado, ou US$ 16 mil para um programa de 12 semanas ministrado por instrutor em Cary, na Carolina do Norte.

Fonte: CIO

Dados pessoais de 49 milhões influencers vazaram do Instagram

Os dados pessoas de 49 milhões de influenciadores e celebridades foram vazados do Instagram, segundo informações publicadas pelo site TechCrunch nesta semana.

O banco de dados on-line foi encontrado pela pesquisadora Anurag Sen. Os responsáveis pelo material seriam da agência de marketing digital Chtrbox, com sede em Mumbai, na Índia. O acesso era facilitado por não precisar de logins ou senhas de acesso.

O TechCrunch ligou para dois números de telefones que apareciam na lista e as pessoas confirmaram as informações pessoais armazenadas no servidor, mas negaram relações que a Chtrbox. As tentativas do site de entrar em contato com um responsável não foram respondidas. Segundo a reportagem, o banco de dados foi tirado do ar.

A agência publicou um tweet no qual nega que o vazamento tenha afetado tantas pessoas. A postagem no perfil da empresa afirma que 350 mil pessoas podem ter tido informações expostas na internet por no máximo 72 horas.

Ao R7, o Instagram enviou o seguinte posicionamento:

“Estamos analisando o problema para entender se os dados descritos, incluindo e-mail e números de telefone, são do Instagram ou de outras fontes. Estamos investigando com o Chtrbox para entender de onde esses dados vieram e como se tornaram disponíveis publicamente.”

Fonte: R7

Esconder número de likes e de views no Instagram tende a ser positivo

E se o número de curtidas nas fotos no Instagram não aparecesse mais? E se a contagem de visualizações não fosse mais pública? Você postaria a foto do seu almoço ou o vídeo do seu cachorro brincando? Será que a marca X apostaria no influenciador Y? Questões assim estão mais próximas de se tornarem reais e parte do dia a dia de quem utiliza a plataforma.

A rede social anunciou este mês que está testando essas possibilidades. O experimento ocorre no Canadá e, por enquanto, não há prazo para terminar nem indicação se a mudança será ou não adotada globalmente. “O recurso está sendo testado para que os seguidores se concentrem nas fotos e nos vídeos que são compartilhados, e não em quantas curtidas recebem”, aponta o posicionamento oficial do Instagram.

Ainda nessa linha de mais qualidade de uso da rede e reflexo do Instagram na vida de seus usuários, a plataforma tem outros recursos já trabalhados há algum tempo. As iniciativas de suporte incluem uma campanha de prevenção ao bullying, feita em parceria com a Unicef; ferramentas para ajudar no combate a essa prática e informações sobre recursos de apoio para quem pesquisa as #ansiedade e #depressão.

Leandro Bravo é head de relacionamento da Celebryts, startup cujo pilar principal é levar resultado dentro de uma campanha em rede de influência. “Verificamos todos os números e nuances, perfil de público, reating e outros, para identificar o melhor influenciador para a campanha”, comenta. A plataforma capta os nomes automaticamente pelo Instagram ou YouTube e mantém uma base filtrada e qualificada com cerca de 60 mil nomes. “Não temos casting, porque só indicamos os nomes que realmente fazem sentido para aquele cliente, e não o contrário”, explica.

Entre os clientes já atendidos pela Celebryts estão Nestlé, Leroy, Bob’s, Netshoes, Microsoft, O Boticário, Magazine Luiza e Domino’s. Com cerca de três anos, a empresa está em crescimento acelerado e vê com bons olhos os testes feitos pelo Instagram. “Tem um ponto positivo para as pessoas e marcas de aprofundar o foco no conteúdo e não no números de likes. Mas acho que para empresas especializadas como a nossa isso já era uma realidade. Quando temos de identificar o melhor nome, não vemos só números ou só uma métrica, é um conjunto, um conteúdo já faz parte da nossa empresa. Acredito que essa mudança tem muito mais a ver com público final”, diz Bravo.

O executivo acredita que, se o recurso for adotado, o número de likes estará dentro da parte de dados ao qual o influenciador e/ou a marca com a qual trabalha tem acesso. Outro ponto que ele chama a atenção é a importância de fazer com que os creators se sintam representados e valorizados.

Com uma visão semelhante, Eduardo Apolinário, diretor de relacionamento com clientes da Sprinklr para a América Latina, também está otimista com a possível mudança. Ele afirma que vê um resultado positivo para os usuários e para a rede ser usada de forma mais saudável, sem comparações e busca por números. “O like por si só é uma métrica não tão sólida para a gente confirmar se o conteúdo tem grande relevância ou não. Tem outras métricas, como de conversas e engajamento, para medir com mais qualidade a aceitação e a produtividade. Acho que todo mundo ganha. Mas é um teste, temos de esperar, para ter mais dados para corroborar se é bem aceito ou não, e os pontos negativos e positivos”, comenta.

Adaptação e evolução
Profissionais que trabalham com influenciadores e conteúdo ressaltam que ambientes de testes são muito comuns nas redes sociais, para avaliar sistemas e comportamentos, que por isso é preciso aguardar a definição do Instagram antes de tomar qualquer medida em relação ao dia a dia.

Rodrigo Soriano, fundador da Airfluencers, reforça que a novidade, se aprovada, deve afetar mais a parte de comportamento. “Tem pessoas que não gostam de dar o primeiro like, outras que gostam de dar like em algo que já foi avalizado por muita gente. Agora a reação terá de ser muito mais pelo conteúdo postado”, diz. Soriano avalia ainda que isso não deve interferir no trabalho com influenciadores, pelo contrário. “O mercado vai valorizar cada vez mais o conteúdo, ao tirar a visão dos números. A métrica vai se adequar. Mudanças são corriqueiras. E quem trabalha com social media está sempre preparado”, afirma.

A executiva Flavia Meirelles, sócia-diretora da Forma RP, também vê com bons olhos e considera possíveis reflexos na dinâmica entre influenciador e marca. “Ou a cultura do like vai deixar de ser uma métrica ou será cada vez mais necessária a intermediação de agências que tenham acesso aos dados dos influencers, já que esses dados não estarão disponíveis na rede. Nesse sentido, o foco hoje dedicado à geração de likes deve se voltar à criação de um conteúdo ainda mais engajador”, acredita.

Facilidade para comprar
Enquanto essa possibilidade está em teste, o Instagram expandiu outro recurso apresentado recentemente: a Checkout, ferramenta de compras iniciada em março. No fim de abril, a rede anunciou que em vez de o criador de conteúdo tagear as marcas que está usando, adicionar os detalhes na legenda e responder dúvidas em comentários e mensagens no Direct, agora ele pode marcar o que está usando. Anteriormente, só as marcas podiam fazer isso.

No anúncio da novidade, o Instagram afirmou que “independentemente do momento em que as pessoas se sentem inspiradas, o nosso compromisso é tornar a experiência de compras mais simples, conveniente e segura”. Os testes começaram com cerca de 50 criadores de conteúdo, entre eles a brasileira Camila Coelho e as personalidades da mídia e empresária Kim Kardashian West e Kylie Jenner.

“Meus seguidores sempre perguntam nos comentários e no Direct sobre quais marcas eu estou usando ou sobre onde comprar algumas peças. Essa ferramenta vai facilitar muito para que eu possa oferecer os detalhes e informações que meus seguidores estão procurando, com um único clique. Os dias de tirar print da tela, salvar na galeria de fotos e de caçar para encontrar meus produtos favoritos acabaram”, afirma Camila.

De acordo com o Instagram, para que os criadores marquem os produtos, as empresas devem fazer parte da versão beta da Checkout. Além disso, a rede vai fornecer insights sobre o desempenho das publicações de compras.

Fonte: Prop Mark

A era do dataísmo e os próximos passos do marketing

O dataísmo é a nova religião dos dados. No passado acreditava-se muito nos princípios da fé para ter respostas às angústias que nos cercavam. Agora os poderosos algoritmos nos dão encaminhamento para as respostas. Alguns usam as estatísticas assim como os bêbados, mais para apoio do que para iluminação.

Antes eu estimava o tempo que levaria para me locomover de A para B, hoje tenho o tempo exato. Antes recorria à intuição dos mais velhos para saber se ocorreria uma chuva durante o dia, hoje tenho a previsão exata se isto acontecerá. Antes fazia minhas orações para não ser acometido por uma doença grave, hoje os testes de DNA fazem análises preditivas. Quando queríamos saber alguma informação para nos ajudar a decidir, recorríamos antigamente ao professor, ao chefe e até ao padre da paróquia. Tínhamos como base de conhecimento as grandes religiões, como o Cristianismo, o Hinduísmo, o Budismo e o Islamismo.

Não sou mais um profissional de marketing, hoje sou um profissional de Matemarketing, minha vida é sufocada por dados. No passado quando encontrava os meus pares de mercado, a pergunta mutua que me faziam era: qual é a sua agência de publicidade?  Hoje perguntamos: quais são as martechs que estão plugadas no seu negócio? Todas as martechs tem no seu DNA algoritmos potentes que geram dados, que por sua vez geram informações, que por sua vez geram a big idea.

A sequência é mais ou menos essa: Biga Data, Data, Small data, insight.  No período da big ideia pura, para aprovar uma campanha havia necessidade de muitas autorizações, assinaturas e carimbos dando autenticidade de que a ideia havia sido aprovada. Era um vai vem de papel, pranchas, assinaturas, etc. Hoje é muito comum o analista fazer uma campanha nas redes sociais, ninguém viu, ninguém aprovou e ninguém opinou. Ela impacta 1 milhão de pessoas, geram milhões de impressões, click views e centenas de clientes interessados etc. Com custo de aquisição de cliente e prospect, e acuracidade de 06 casas depois da vírgula. Tudo é absolutamente mensurado. Acabou a era dos palpiteiros de plantão.

Estamos vivendo a era do Dataísmo, a nova religião de dados, tudo se explica através de números. Os profissionais de marketing e comunicação que não acordarem para esta nova realidade estão fora da arena de negócios. Independentemente da carreira que atuamos, todos deveremos ser proficientes em competências analíticas, sobretudo os profissionais de humanas que passaram e ter que incorporar essa nova habilidade no seu grid. Ouso afirmar que o Big Data adquiriu um protagonismo significativo nos últimos anos a ponto de parear com o big ideia, no entanto um não vive sem o outro. Profissionais de humanas, bem-vindos ao mundo de exatas.

Fonte: Consumidor Moderno

Facebook anuncia o retorno de função para visualizar seu perfil como público

No ano passado, o Facebook havia retirado um recurso que permitia aos usuários visualizarem os seus perfis na visão de outras pessoas. Isso acabou desapontando muita gente, que conseguiam editar os seus dados e fotos para que o perfil ficasse do jeito que gostaria ao público geral. No entanto, na terça (14), a gigante deu uma notícia muito boa para esses usuários, pois afirmou que está trazendo de volta essa função.

O recurso, conhecido como “Visualizar o meu perfil”, é uma ferramenta de segurança que permite aos usuários verem como seu perfil se parece na perspectiva das pessoas de quem não são amigos no Facebook. Com base nessa tela, os usuários também podem efetuar alterações nas informações disponíveis publicamente com um novo botão chamado “Editar perfil público”.

Apesar de agradar a muitos, esse recurso havia sido desativado em 2018 após um ataque hacker que se aproveitou de algumas brechas de segurança dessa mesma função, extraindo informações pessoais de 50 milhões de contas que, ao que tudo indica, foram utilizadas para planejar ações de marketing direcionadas.

Conforme os testes realizados em smartphones e notebooks, aparentemente o recurso ainda não foi liberado para todo mundo e está sendo disponibilizado aos poucos. Mas como o Facebook anunciou a volta da funcionalidade de forma pública, por meio de sua conta do Twitter, é possível que o recurso esteja à disposição de todos dentro de alguns dias.

Fonte: Canaltech

Análise de dados auxilia no crescimento das marcas

Atualmente, nenhuma ação de comunicação de sucesso existe sem o uso de dados. Estamos em tempos de real time marketing, onde as marcas precisam se movimentar de acordo com os movimentos dos seus concorrentes e dos consumidores. Para isso, é importante monitorar a todo tempo informações que de alguma forma ajudem na concepção de soluções e estratégias de comunicação.

Ter sucesso no mercado é basicamente vender um produto ou serviço. E quando se analisa o ambiente competitivo, com muitos players e diversos canais para comunicação, ter visibilidade é essencial para impulsionar as vendas. Pensando nisso, reunimos opiniões de diversos especialistas de comunicação que relataram a importância de usar a análise de dados como trampolim para os negócios. Confira!

Mensuração de dados
Para os anunciantes, analisar dados é ideal para ter maior precisão nas compras de mídia e consequente na avaliação de resultados. Segundo Celso Vergeiro, CEO da Adstream, o cruzamento de informações como compra de mídia, valores investidos, exibição e audiência da mídia veiculada, é possível avaliar cada campanha, se os resultados esperados foram atingidos e até mudar o plano de voo caso os resultados não estejam sendo alcançados. “Muitas marcas utilizam ferramentas de medição, mas ainda pouco precisas. Quanto mais informação conseguirmos cruzar por meio dos relatórios analíticos, mais eficientes serão as campanhas” completa.

Análise da concorrência
Entender o posicionamento da sua empresa utilizando dados disponíveis no mercado a seu favor torna a tomada de decisão muito mais assertiva. “Mais do que monitorar o mercado é de suma importância analisar o comportamento da concorrência como forma de entender o que mais está funcionando em suas estratégias de comunicação. Você pode e deve usar estas evidências como forma de se diferenciar em seu mercado, tomando ações corretivas, embasadas e de maneira ágil. Como já diz algumas das máximas da administração: o que não pode ser medido não pode ser gerenciado!”, explica Eduardo Prange, CEO da Zeeng.

Comportamento do consumidor
O Analytics é uma ferramenta crucial para o entendimento do comportamento do consumidor nos meios digitais. Saber o que desperta seu interesse, quais as principais páginas e ações dentro de um site. Mas vai além disso, é importante entender também como o conteúdo é consumido, por qual canal, por quanto tempo, que tipo de assunto tem mais aderência. “Compreender os objetivos do consumidor é essencial para saber o que o marketing irá perseguir. Pensar nas pessoas não como um número, mas como parte integrante da engrenagem do sucesso das estratégias”, afirma Hérica Machado, Head de Performance da DIWE, primeira agência de profound marketing do país. “De maneira prática podemos usar como exemplo uma análise simples, mas que muda toda a maneira de pensar uma estratégia, que é entender qual o principal dispositivo de acesso ao seu site. Em um cenário que o mobile tenha uma parcela maior de acessos, o planejamento deve ser feito com o pensamento “mobile first”, campanhas, formatos e ações devem conversar diretamente com esse dispositivo. Por outro lado, entender se existe apenas volume por esse dispositivo mas não qualificação, ou seja, pelo Analytics, podemos acompanhar se o tráfego é qualificado e isso dá insumos para traçar planos de ação que possam aumentar essa qualidade. Todas essas características influenciam na maneira de consumo de informação e em como podemos otimizar a comunicação com o público aumentando a visualização da marca”, finaliza Hérica.

7 dicas essenciais para manter o controle de seus dados on-line

Há tantos golpes por aí, sem mencionar que as empresas vendem suas informações pessoais sem o seu conhecimento, que podem se sentir como se fosse impossível ter qualquer tipo de controle sobre quem pode ver e ter seus dados on-line.

Mas é possível, e descreveremos algumas maneiras simples de trancar suas configurações de privacidade, gerenciar suas senhas e manter suas finanças seguras.

Como identificar um e-mail fraudulento

Sua caixa de entrada provavelmente está repleta de muitos e-mails indesejados, mas é crucial reconhecer um spam de uma fraude.

Os golpistas se tornaram muito melhores em reunir e usar seus medos em um e-mail convincente para enganá-lo a entregar informações como senhas de contas e até mesmo números de cartão de crédito ou dados bancários.

Você pode ver e-mails que dizem que uma das suas contas foi suspensa ou encerrada devido a atividades suspeitas ou fraudulentas. Geralmente, há um link para clicar para que você possa fazer login e ‘resolver o problema’. Mas esse link provavelmente vai para um site falso que parece o negócio real. Se você digitar seu nome de usuário e sua senha, você os entregará ao golpista e, se usar os mesmos detalhes para outros websites, acabará comprometendo sua segurança ainda mais.

Em caso de dúvida, nunca clique em um link em um e-mail. Em vez disso, digite o endereço do site confiável e conhecido da empresa diretamente em um navegador web (ou use o Google para encontrá-lo) e faça login em sua conta dessa maneira.

Nenhuma empresa respeitável lhe enviará um e-mail do nada e pedirá que você entregue sua senha ou quaisquer detalhes financeiros.

E se você receber e-mails com ofertas inacreditáveis para iPads, festas ou qualquer outra coisa, desconfie se você não conhece a empresa por trás dele. Não entregue detalhes nem pague por nada até ter certeza de que é genuíno.

Não forneça detalhes extras

Ao se inscrever para uma nova conta online, preencha apenas os campos obrigatórios. Não é necessário inserir seu endereço, número de telefone ou qualquer outro dado pessoal (mesmo seu nome do meio) se o site não forçar você.

Obviamente, se você estiver solicitando produtos, precisará fornecer um endereço de entrega, mas, se conseguir, obtenha itens entregues em um endereço comercial.

Além disso, em vez de entregar seus dados bancários, vale a pena configurar uma conta do PayPal e usá-la sempre que possível, pois o comerciante nunca verá sua conta bancária ou seu número de cartão de débito. Se você não quiser usar o PayPal, experimente o Apple Pay ou o Google Pay.

Se você não pode usá-los, por que não configurar uma conta bancária especificamente para compras on-line e manter apenas uma pequena quantia de dinheiro? Desta forma, se esses detalhes forem comprometidos em um hack e caírem nas mãos erradas, quaisquer perdas serão muito limitadas.

Tenha vários endereços de e-mail

As contas de e-mail são gratuitas, por isso é uma boa ideia configurar uma para diferentes atividades on-line, como compras, mídias sociais, fóruns etc.

Dessa forma, você pode limitar a quantidade de e-mails indesejados que você precisa ver, pois não há necessidade de verificar regularmente as contas em busca de e-mails, e isso mantém sua conta de e-mail principal muito mais livre de spam.

Isso também significa que você não é forçado a usar o mesmo endereço de e-mail para todas as suas contas on-line, o que é um risco de segurança.

Use um gerenciador de senhas

A razão pela qual a maioria das pessoas usa a mesma senha para várias contas é porque é difícil lembrar de outras dezenas. Um gerenciador de senhas resolve isso armazenando com segurança logins para contas por trás de um nome de usuário e senha principais. Então tudo que você precisa lembrar é uma única senha.

Melhor ainda, os bons gerenciadores de senhas geram senhas fortes e podem até atualizar suas senhas fracas existentes em alguns casos. E eles inserem automaticamente os detalhes de login de um site ou aplicativo para que você não precise procurá-los.

Recomendamos o LastPass e o 1Password.

Use uma VPN

Uma VPN garante que a conexão entre o seu dispositivo e a internet seja criptografada. É crucial que você use uma VPN em um Wi-Fi público e aberto, caso contrário, você deixará seus dados expostos a qualquer pessoa que queira bisbilhotar.

Normalmente, uma única conta VPN pode ser usada em vários dispositivos para que você possa proteger os telefones e laptops de sua família.

Cheque as suas configurações de privacidade

Se você usa o FacebookInstagramTwitter ou qualquer outro site de rede social, entre em suas configurações e veja as opções de privacidade. A menos que você os tenha alterado, eles serão definidos com os padrões que talvez não ofereçam a privacidade desejada.

O Facebook é o principal a verificar, como o Twitter, Instagram e outros que são públicos, então o que você postar é visível para todos. O Facebook permite que você bloqueie sua conta para que apenas seus amigos possam ver o que você postou, e você pode até configurar diferentes grupos de amigos e excluir pessoas específicas quando você postar.

Se você tem filhos com menos de 13 anos, aconselhamos que não permita que eles usem aplicativos sociais que permitam a qualquer pessoa ver o que publicam. Algumas aplicações permitem-lhe definir uma conta privada, que apenas seguidores ou amigos aprovados podem ver as mensagens.

Verifique se seus dados estão comprometidos

Como tem havido muitos hacks de empresas e sites de alto perfil, você deve verificar se algum dos seus dados foi comprometido. Vá até Have I been pwned? e digite seus endereços de e-mail que você usa para contas on-line.

Se ele foi incluído em qualquer uma das violações, elas serão listadas. Embora seja um pouco tarde para impedir que seus dados sejam roubados, você pode pelo menos alterar a senha associada a qualquer conta invadida para impedir qualquer acesso adicional a essa conta.

Não há mágica quando se trata de manter seus dados on-line seguros. Mas use essas dicas e você terá uma chance muito maior de manter o controle de quem pode vê-los.

Fonte: ITMIDIA